21 de novembro de 2008

A 7 palmos d'água

Chove noite afora
Mesmo sem saber
Aqui me escondo
A sete palmos d'água
E neste escuro canto
Me inquieto e choro
Tudo muda de lugar
Nada é como antes
Minha alma se refaz
Chove aqui dentro
Enquanto amanhece
Não penso em dormir
Eu sei o que fazer
Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.