31 de dezembro de 2006

E chega ao fim 2006!

E termina muito bem. Nunca me senti tão feliz em um final de ano. Em 2006 aconteceram as coisas mais inimagináveis pra mim se fosse tentar prevê-las em 31 de dezembro de 2005.

Este ano me fez voltar a sorrir e a sonhar com dias melhores. Me fez esquecer problemas antigos e em esquecendo-os consegui resolve-los - quase que todos. Conheci pessoas novas - ou me aproximei de pessoas que já conhecia mas que não tinha vínculo forte de amizade - que me abriram a cabeça para um sem-número de novas possibilidades. Também reencontrei antigos amigos e pessoas que fizeram parte da minha história real e também da história do que poderia ter sido mas que não foi. Isto foi muito legal.

2006 ficará na minha história como um dos anos mais completos que já viví.

Só posso desejar a todos que visitam este blog - regularmente ou não - um novo ano repleto de realizações. Um 2007 pró-ativo, que supere as espectativas e que te ofereça algo melhor que você possa ter imaginado no dia de hoje.

E que possamos ter a consciência - a cada dia - de que o "tempo voa" (Tempus fugit) e por isso devemos "aproveitar cada dia" (Carpe diem)... sempre como crianças...

22 de dezembro de 2006

Amanhecer

O céu está escuro
e o silêncio reina.
Mas a noite, ingênua,
não percebe
a chegada do Sol.
Muito menos eu.

O céu está escuro
E os cães ladram
E pensam que reinam
Como os humanos
Que pensam
Ou acham que pensam
Feito eu

O céu está escuro
E assim ficará
Até daqui a instantes
Quando nada escapará
Da força do Sol
Muito menos eu
Ou o Mar

Joe Edman

11 de dezembro de 2006

David Rockefeller

Bela entrevista onde o bilionário fala sobre Brasil, corrupção, capitalismo e outras coisas muito interessantes. Gostei!

Pinochet se foi

Não posso perder de jeito nenhum o Programa do Jô de amanhã! Será que o Alex vai chorar?!

10 de dezembro de 2006

7 de dezembro de 2006

Inusitado


Até há pouco estava irritado, completamente sem paz. Algumas coisas aconteceram durante a manhã que me deixaram muito mal. Talvez uma soma de várias coisas que atualmente permeiam meu coração que não o deixam em paz. Realmente não tava legal.

Eis que algo acontece. Estava aqui no PC trabalhando (pelo menos tentando) quando vem da minha sala um som maravilhoso de uma harpa sendo maestralmente tocada. Mas não era o CD de canções de Natal que nesta época teima em ser o "hit parade" que perfura nosso célebro. Era uma enorme harpa de verdade sendo tocada na minha sala. Pena não estar com uma máquina aqui pra registrar isto.

Durante mais de 1 hora, depois do almoço, aquele Sr. tocou - e ainda está tocando enquanto digito isto - várias canções que conheço e que foram o "sound track" da minha infância nas igrejas batistas por onde passei por este Brasil.

E como Davi vez a Saul, eu fiquei aqui do meu quarto sendo acalentado; absorto naquelas canções instrumentais que me amoleceram por inteiro e me devolveram a calma, a paz de espírito e o sorrizo.

Há algo na Harpa... e nas canções cristãs... dá pra sentir Deus aqui... entendo porque ele - Saul - não deixava Davi ir embora.

5 de dezembro de 2006

Dependência

É impressionante o quanto minha filha tem criado um sentimento de apego a mim ao ponto de acordar chorando - aos soluços - no meio da noite só porque eu não estou por perto. Isso é bonito e ao mesmo tempo assusta. Preciso meio que entender isto direito ainda. Eu não sei se acho isto bom ou ruim...

Este sentimento - ao meu ver - forte que ela sente por mim. Esta sede de me ter por perto a toda hora seja pra ver um desenho na TV, pra jogar "o jogo do sapo" no computador, pra contar uma estorinha com o gibí da Turma da Mônica deitada na cama ou mesmo pra dormir junto... Será que eu cuido tão bem dela ao ponto de fazer crescer nela esta imensa expectativa tanto que a acostumei mal? Ou será que - pelo contrário - eu não dou a atenção devida e este sentimento é fruto de uma imensa carência causada pela minha falta?

Seja o que for... o que eu tenho aprendido é que não é fácil criar um filho... e que o primeiro filho - eu sou uma prova disto - sofre mais que os outros por ser o "cobaia" do método de criação dos pais. Mesmo porque não há muito como comparar a não ser com os filhos dos outros e isto gera um problema pois os métodos a serem comparados aí já serão diferentes... melhor não tentar.

Espero estar fazendo a coisa certa... morro de medo de entupir esta criança - que Deus (não sei bem porque) colocou em minhas mãos pra criar - de traumas e medos e inseguranças geradas pela minha ausência... ou sei lá pelo quê mais...

Que Ele me ajude... por enquanto não tem falhado... não é do feitio d'Ele...

11 de novembro de 2006

Tempo de Investir

Há tempo pra tudo. Tempo pra plantar e pra colher... Agora estou no tempo de investir. Preciso investir na minha profissão. Pegar um pouco do que ela me rende e reverter na renovação das ferramentas que me permitem produzir e render. Geralmente fazia isto a cada 3 anos mas a tecnologia tem encurtado estes prazos.

Troquei meu notebook antigo por um novo há apenas 2 anos e ele já tá implorando pra ser trocado. Talvez nem venda o notebook e sim compre um PC. Sinto falta de um PC. Fiquei 5 anos só com notebooks e é muito bom porque te dá mobilidade. Só que eu precisava de mobilidade há 5 anos quando trabalhava com Delphi. Hoje não mais... hoje preciso é de poder de processamento. A mobilidade fica por conta da pen-drive e da própria internet.

Mantenho tudo on-line, arquivos de texto e planilhas no Google Docs, emails no Gmail, favoritos no del.icio.us, fotos no Flickr, praticamente todos os clientes usam algum tipo de CMS feito por mim ou por terceiros como o WordPress. Praticamente não programo mais em Delphi e para este caso posso manter este PC atual porque o Delphi não exige tanto poder de processamento quanto o Ajax que literalmente me deixa amarrado aguardando...

Enfim... tá na hora! Mãos à obra atraz de orçamentos e preços e prazos e... paciência... E preparar o bolso pra gastar uns 3 mil... ai meu Deus...

5 de novembro de 2006

Getting Things Done

Por causa do comentário do Enoch no meu último post acabei encontrando seu blog onde ele fala dentre outras coisas algo que me interessou muito e que com certeza vai me ajudar a terminar as coisas que começo: A metodologia do livro "Getting Things Done" - GTD - ou "A Arte de Fazer Acontecer", de David Allen. Já conhecia o Enoch mas não tinha noção do quanto web 2.0 ele estava! :)

Vivo iniciando projetos que ficam pelo caminho em detrimento de novos projetos ou de simplesmente não ter mais tempo ou porque aquilo ficou obsoleto. Vou procurar este livro pra entender como isto funciona. Eu realmente preciso disto! Valeu Enoch! Depois vou avaliar o quanto você salvou minha vida com isto!

4 de novembro de 2006

Telefonema


Hoje à tarde tive uma bela surpresa. Me ligaram do JequiéNoticias porque viram no meu Flickr algumas fotos de Jequié que postei por lá. Queriam autorização para colocar as fotos no site deles. Achei isto muito legal!

Gostei porque me ligaram e pediram as fotos ao invés de simplesmente irem copiando e pronto. Bacana isto. A mentalidade do povo está mudando? Espero que sim! Pena que nem todas as fotos não são minhas, tem umas de Adaelson, um amigo meu, dono da Câmera Service. Mas disse que eles poderiam publicar se citassem a fonte. Espero que façam isto!

Isto me lembrou que preciso ressuscitar o JequiéNET. Ele tem tanto potencial e eu disperdiço isto tanto!!! Mas em 2007 com certeza!

23 de outubro de 2006

Quero tanta coisa... mas preciso?

É incrível o quanto o ser humano moderno sempre acha que está precisando de alguma coisa. Nada lhe satisfaz... procure neste planeta inteiro... alguém 100% satisfeito e ponto... simplesmente não existe...

O objetivo sempre muda mas o sentimento de que falta algo é mesmo para todos. Uns - uns não, a grande maioria - procuram encontrar isto no dinheiro, outros num grande amor, outros ainda na religião, e, paradoxalmente uns até se desapegam dos bens ou fazem o bem sendo voluntários justamente procurando conforto para a alma.

Eu mesmo quero tanta coisa, a começar por um computador e um notebook atualizados; sucesso no meu trabalho; voltar pra música e gravar meu CD; a paz no mundo... se fosse listar tudo aqui...

Mas o que queremos é o que realmente precisamos? E se não for? Quem nos convencerá? Nós mesmos? E nós nos ouvimos? A quem nós ouvimos? Qual a autoridade que nós temos sobre nós mesmos? Parece que dentro de nós há uma outra pessoa que as vezes nos comanda tão ditatoriosamente que simplesmente não há o que fazer!

As vezes acho que é inútil tentar nos satisfazer porque sempre iremos procurar novos desejos e jamais estaremos satisfeitos...

Vamos imaginar a hipótese de um ser humano que conseguisse tudo e não sobrasse mais nada nada a se imaginar que ele já não possuisse. De bens materiais a espirituais, tangiveis e intangíveis. O que aconteceria? Este ser seria alegre ou triste? Entraria em um extase de total contentamento? Ou acabaria por se entediar daquilo tudo e começaria a desejar ter desejos?

Isso provaria que é da nossa natureza estar eternamente descontente com a nossa condição seja ela qual for? É essa natureza que une todos os seres humanos ricos e pobres e de todas as raças. A eterna e abençoada insatisfação que fez com que nossa raça se desenvolvesse sobre todoas as outras raças. Um bug em nosso genoma que propulsionou a espécie humana a dominar o planeta de forma tão violenta que está quase chegando a destruí-lo simplesmente por não poder ou não saber parar de querer mais e mais e mais... sempre...

O que fazer? Desistir então? Se não há fim, qual será mesmo a graça disto? Ficam aí estes questionamentos... muito pano pra manga... inclusive pra minha...

9 de outubro de 2006

Amor pela Sabedoria

De uns 3 anos pra cá tenho pensado muito. Em tudo. Não só na vida que levava ou levo, mas também nos "porques", nos "como", nos "e se" de tudo aquilo ou disto. Muitos destes pensamentos eu deixei registrado aqui mesmo neste blog. Escrevia muito sobre coisas que naquele momento mexiam comigo.

Não sabia mas estava filosofando. Não entendia que entrar pelo caminho de questionar as coisas era filosofia. Lembro de ter tido aulas de filosofia na escola mas aquilo parecia mais com aula de redação (sou bom nisso) e não deixa ter tudo a ver pois - me corrigam se estiver errado - o que seria da filosofia se ninguém escrevesse sobre o que foi mastigado e digerido pelas mentes dos grandes filosofos?

Algo que estou compreendendo agora é que na filosofia o que mais vale não são as respostas e sim as perguntas. Os questionamentos colocam o nosso cérebro pra funcionar e a partir de uma questão intrigante chegamos a novas questões até mais intrigantes ainda. A resposta é obtida se questionando mais e cada vez mais. Hipotetizar também é um grande exercício para a filosofia. Ao simularmos situações é criada a questão "e se..." e então passamos a analizar conseqüencias de atos que nunca existiram, que talvez até seriam impossíveis de se realizar mas o que vale é a pesquisa e a produção do conhecimento.

Não sou a melhor pessoa pra falar sobre filosofia por isso linkei para a o que Wikipédia fala sobre para que vocês entendam melhor. O que quero com este post é deixar claro aqui a minha ignorância sobre filosofia e diante desta ignorância declarar o quanto ela tem me fascinado, e ainda mais agora que entendo mesmo que pouco o que ela significa.

Este post serve meio que para introduzir uma série de futuros posts sobre filosofia que irei colocar aqui no blog. Levantar algumas questões e externar meus pensamentos filosóficos. Espero conseguir colocar aqui o que borbulha em meus pensamentos e se não conseguir achar respostas que pelo menos encontre novas perguntas.

8 de outubro de 2006

Impressionante

Acompanhei de perto no último mês algo que me decepcionou um pouco com relação a blogs e a arte de blogar. Acompanho 152 blogs atualmente com a minha conta do Bloglines. Muitos deles eu adicionei devido a uma campanha da nossa blogosfera para tornar conhecidos os nossos maiores blogs. Sempre achei que tinha uma lista muito boa.

Desde que pipocou na rede um certo vídeo (de uma certa "celebridade cujo nome lembra o de uma marca de temperos" com seu namorado numa praia) , eu notei que muitos blogs citam este fato repetidamente apenas para serem acessados com maior intensidade e assim ganharem mais impressões e cliques em suas propagandas.

Existem posts em que claramente se nota pelo conteúdo que o único objetivo é atrair mais e mais acessos. Conseguem colocar num post de 3 ou 4 paragrafos as 15 palavras mais procuradas pelos internautas no Google durante a última semana ou mesmo o que a mídia anda comentando. De preferência algo que notoriamente se tornou viral na rede.

Tenho me perguntado se isso é correto. Se vale tudo para ganhar alguns dólares a mais do Brin e do Page ou do Filo e do Yang. Se atrair o internauta incauto quase que como se pesca peixe é correto. E a resposta que sempre vem é NÃO! Pode ser que a minha maneira de pensar esteja errada ou simplesmente porque não vivo do que meu blog modestamente arrecada com propaganda. Não sei...

O fato é que esta maneira de monetizar é perigosa porque decepciona o navegante que chega procurando por algo relevante indicado pelos Googles da vida e encontra simplesmente um post que apenas menciona superficialmente o fato e aí então ele sente que caiu numa armadilha. Sente que é o pato da vez e que deu sem querer de alguma forma grana pro dono daquele site que se deu bem às suas custas.

Pode afugentar também os frequentadores assíduos que estão a procura de bom conteúdo. Que - como eu - assinam aquele blog e recebem todo santo dia seus feeds e perdem um precioso e escasso tempo lendo pra simplesmente não obter conteúdo algum. E novamente ser pato! Acho isso muito injusto e anti-ético.

Talvez esteja sendo dramático! Talvez muitos gostem destas estratégias de marketing de guerrilha ou de sei lá o quê! Mas acho que o usuário merece respeito. E se o blogueiro quer ganhar seus créditos de impressões de ads pela net que o faça primariamente respeitando seu público e lhe oferecendo algo em troca.

4 de outubro de 2006

Feliz Aniversário Linda

Já falei aqui o quanto eu amo esta garota! Sim! Garota porque se propôs a viver a vida alegremente - no melhor estilo Rúbem Alves - e a sorrir sempre!

Adoro o jeito espivitado dela! As vezes ela até exagera um pouco e me mostra - pelas minhas reações - o quanto estou ficando adulto e deixando estas coisas de lado. Mas gostaria de falar disso aqui porque foi justamente isto que me atraiu nela! Sua vontade de viver apesar de tudo!

Ela brinca mas isso não quer dizer que não seja séria. Na verdade isto não tem nada a ver. São coisas que não se anulam e podem sim conviver e ela é uma real prova disto. Iêda sobretudo pensa. É uma pensadora e tem exercido este dom em seu blog onde mostra a que veio. Se preocupa com a condição humana e com o social.

Ela também sabe me analisar. Entende quem eu sou muito mais do que eu mesmo. E consegue me dar toques tão profundos a meu respeito que de tão constrangido - é que o dedo na ferida dói - eu chego a me irritar. Isso me faz ter um pouco de medo dessa sensibilidade emocional a flor da pele.

Iêda! É com um simples post - sem nenhum interesse - como este que eu quero registrar os meus parabéns e a minha felicidade pela passagem do teu aniversário! Que Deus te encha de bençãos e realize todos os anseios do teu coração! Isso eu desejo do fundo do meu coração!

Quero te ver sempre assim! Alegre e feliz por dentro e por fora! Tá?! Te amo muito!

Teu namorado!

10 de setembro de 2006

Nós e o Caos

Quem já leu sobre a teoria do caos? Aquela mesma do "efeito borboleta" que diz que as ondas de deslocamento de ar criadas pelas asas de uma borboleta lá no pacífico pode influenciar na intensidade de um provável furacão no mar do caribe alguns anos depois.

Essa da borboleta serve como parábola para explicar que tudo que fazemos agora - inclusive eu digitar este post, e por conseqüencia, você o lendo - influenciará em nosso futuro. Pode chegar ao extremo de, apenas por causa da simples leitura deste post seu futuro ser completamente outro.

Onde quero chegar? Simples! Se o nosso futuro depende única e exclusivamente das decisões ou ações que a cada momento estamos tomando e executando, porque não então brincar com isso? Porque não dizer "sim" quando normalmente diríamos "não" ou vice-versa? Porque não sair quando normalmente ficaríamos em casa? O simples "fazer diferente do normal" já mudaria muito as coisas!

A minha impressão é que nós sempre temos a tendência de nos mantermos naquela mesma linha reta de sempre. Acomodados. Quase como que num barco em um rio com remos e lemes à nossa disposição pra irmos onde quisermos mas simplesmente deixamos que a correnteza nos leve. Fazendo tudo que - estatisticamente - faríamos. Sempre no limite da nossa "segurança" pessoal. Porque não correr riscos? Porque não jogar tudo pra cima? Tomar rumos diferentes do que normalmente tomaríamos.

Isso serve pra mim! Há alguns dias atráz deixei pra lá a oportunidade (talvez) única de ir pra Salvador e fazer um curso de direito. Fico me perguntando: Qual seria o meu futuro se esta decisão fosse tomada? Não só neste caso mas em inúmeros outros casos eu - e vocês, com certeza - me faço aquela irriquietante pergunta que sempre começa com "e se... ?". Tenho certeza que a história da "máquina do tempo" foi criada para satisfazer - na fantasia - esta enorme curiosidade do homem de saber o que poderia ter acontecido nos inúmeros universos paralelos decorrentes das nossas incontáveis possibilidades diante das grandes questões de nossas vidas.

Por isso, acho que se, na hora de tomar as decisões, a gente parar um pouco pra pensar nas conseqüencias daquelas próximas ações talvez nosso futuro seja até mais - ou menos - previsível. Isso pra quem tiver vontade de tentar - ou não - controlar o próprio futuro. Pra quem - como eu - não tá nem aí para o rumo das coisas - mesmo porquê nem adianta ficar preocupado com o futuro porque ele está em contante mutação mesmo - o negócio é mesmo brincar com o destino.

Eu defendo que - as vezes - se diga "não" quando normalmente o que seria dito fosse o "sim". Fazer diferente! Amarrar o cadarço do sapato com a mão inversa da que normalmente fazemos todo santo dia. Ir para o trabalho por ruas diferentes. Comer coisas diferentes, inclusive coisas que não gostamos. Uma vez passei um mês inteiro comendo maxixe no almoço. Eu odiava maxixe. Depois de um mês acabei gostando. Isso - se não servir pra mais nada - pelo menos cria novas conexões sinápticas cerebrais. Estimula seus sentidos. Isso é maravilhoso.

Não se deve ter medo do futuro. O simples fato de ter medo do futuro já o altera totalmente. Faça coisas que normalmente você não faria. Escrevendo isso - por exemplo - eu já estou fazendo um pouco disso. Mude o tempo todo. Estagnar é deixar que a correnteza te leve. Mude seu jeito. Deixe o passado pra traz. O passado não dá pra alterar. O futuro sim.

Saia da mesmice! Seu futuro agradece! Isso tudo só pra deixar o destino maluco. Ele merece! Não?

29 de agosto de 2006

A Música em Pessoa

Queria escrever algo legal para este disco que me marcou muito e cujas músicas - principalmente as de Tom Jobim - não me saem da cabeça. Este disco me fez ficar interessado pelo autor e acabei lendo seu livro. É uma poesia meio estranha porque além de português ele era do início do século. Mas não é nada que não se supere logo no início. Dá até pra sentir o vigor da modernidade aflorando em seus versos.

Como disse acima, eu queria escrever, mas acabei achando este texto no site da gravadora Biscoito Fino que já diz quase tudo que eu queria falar. Portanto, porque não deixar os especialistas no assunto comparecerem um pouco? Então lá vai:

Lançado pela primeira vez em 1985, data em que se comemorou os cinqüenta anos de morte de Fernando Pessoa, A Música em Pessoa é um exemplo de casamento perfeito entre a poesia portuguesa e a canção brasileira.

São 15 poemas, musicados por alguns dos principais compositores brasileiros: Antonio Carlos Jobim, Francis Hime, Edu Lobo, Milton Nascimento, Sueli Costa, Arrigo Barnabé, Dori Caymmi, entre outros. Se Fernando é português na poesia, A Música em Pessoa é brasileira na canção.

Produzido por Elisa Byington e Olivia Hime, A Música em Pessoa traz, em sua nova edição, remixada e remasterizada, um bônus especial: a inédita versão de Tom Jobim para Autopsicografia (dos versos "o poeta é um fingidor/finge tão completamente/que chega a fingir que é dor/a dor que deveras sente"), cantada pelo próprio Tom.

A canção havia ficado de fora da edição original por um argumento simples: na euforia de musicar poemas de Pessoa, Tom excedera a encomenda fazendo três canções para o disco. Autopsicografia acabou ficando num baú virtual por 17 anos (mais ou menos como a obra de Pessoa, só revelada em toda sua grandeza depois da morte do poeta, em 1935).

Tom interpreta ainda suas versões para O Rio da Minha Aldeia (minha predileta) e Cavaleiro Monge; Marco Nanini relê Passagem das horas, com música de Francis Hime; Francis e Olivia Hime cantam Glosa; Marília Pêra sustenta O menino da sua mãe, ambas com melodia de Francis; Nana Caymmi potencializa Segue o teu destino, musicada por Sueli Costa; Ritchie revela um aspecto britânico de Pessoa em Meantime; Jô Soares incorpora Álvaro de Campos em Cruzou por mim, veio ter comigo em uma rua da baixa..

A intenção das produtoras de A Música em Pessoa foi incluir os quatro heterônimos mais famosos do poeta: Alberto Caeiro, Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Bernardo Soares, além de poemas assinados por Fernando Pessoa - ele mesmo.
E tem também a ficha técnica:
  • Projeto: Elisa Byington
  • Produzido por Elisa Byington e Olivia Hime
  • Direção de Produção: Max Pierre
  • Direção de Estúdio: Olivia Hime e Elisa Byington
  • Técnico de gravação: Célio Martins, Garrafa, Dorey, Mário Jorge e Cacá
  • Assistentes de estúdio: Julinho, Jackson, Billy, Leco, Beto, Marcelinho e Herlinton
  • Assistente de produção: Jorge Corrêa
  • Remixado no Estúdio Sarapuí por Gabriel Pinheiro, Rodrigo de Castro Lopes e Olivia Hime
  • Assistente: Fernando Prado
  • Remasterizado no Estúdio Visom Digital por Rodrigo de Castro Lopes
  • Capa: Paulo Gomes Garcez
  • Projeto gráfico do LP original: Ana Monteleone e Paulo Gomes Garcez
  • Projeto gráfico deste CD (baseado no design original do LP): Arthur Fróes
  • Arranjadores: Paulo Jobim, Dori Caymmi, Francis Hime, Ritchie, Toninho Horta, Edu Lobo, Edgard Duvivier, Jaques Morelenbaum, Gil Reys, Nando Carneiro e Chiquinho de Moraes
  • Instrumentistas: Dori Caymmi (violão), Gilson Peranzzetta (piano), Luís Alves (contrabaixo), Francis Hime (piano), Celso Woltzenlogel (flauta), Eduardo Morelenbaum (clarinete), Sacha Amback (teclados), Gê Côrtes (baixo acústico e elétrico), James Müller (percussão), Toninho Horta (violões), Otávio Bonfá (guitarra), Jamil Joanes (baixo), Théo Lima (bateria), Max Pierre (bateria), Svab (trompa), Túlio Mourão (teclados), Cristóvam Bastos (piano), Nico Assunção (contrabaixo), Marcio Montarroyos (trumpete), Mário Bonfa (piano), David Ganc (flauta), Jaques Morelenbaum (cello), Tonho Barnabé (violões), Arrigo Barnabé (violões), Paulo Jobim (violão e flautas), Celso Porta (flauta), Botelho (1º clarinete), Justi (2º clarinete), Bruno (oboé), Nando Cordeiro (violões e teclado), Tom Jobim (piano), Danilo Caymmi (flautas).
  • Orquestra de cordas: Aizik, Michel Bessler, José Alves, Walter Gomes, Paschoal Perrota, Francisco Perrota, Luiz C. Masques, Arlindo Penteado, João Jerônimo, Bernardo Bessler, Giancarlo Pareschi, Virgílio Arraes (violinos), Nelson Macedo, Hindenburgo Frederic Stephany, Eduardo Pereira (violas), Alceu de Almeida, Luiz de Samith, Jorge Kundert, Jaques Morelenbaum
  • Coro: Tom, Ana, Paulo e Elisabeth Jobim, Paula e Jaques Morelenbaum, Simone e Danilo Caymmi, Maúcha Adnet
E as canções, com seus autores e interpretes:
  1. O Rio da Minha Aldeia (Alberto Caeiro/Tom Jobim) Voz: Tom Jobim - 2m42s
  2. Segue o Teu Destino (Ricardo Reis/Sueli Costa) Voz: Nana Caymmi - 2m28s
  3. Glosa (Fernando Pessoa/Francis Hime) Voz: Francis e Olivia Hime - 2m51s
  4. Meantime (Fernando Pessoa/Ritchie) Voz: Ritchie - 4m21s
  5. Emissário de um Rei Desconhecido (Fernando Pessoa/Milton Nascimento) Voz: Eugênia Melo e Castro - 4m06s
  6. Passagem das Horas (Álvaro de Campos/Francis Hime) Voz: Marco Nanini - 5m23s
  7. Meus Pensamentos de Mágoa (Fernando Pessoa/Edu Lôbo) Voz: Edu Lôbo - 3m17s
  8. Livro do Desassossêgo (Bernardo Soares, Olivia Byington, Edgard Duvivier) Voz: Olivia Byington - 2m43s
  9. Saudade Dada (Fernando Pessoa/Arrigo Barnabé) Voz: Arrigo Barnabé - 50s
  10. Na Ribeira deste Rio (Fernando Pessoa/Dori Caymmi) Voz: Dori Caymmi - 3m59s
  11. Cavaleiro Monge (Fernando Pessoa/Tom Jobim) Voz: Tom Jobim - 1m44s
  12. O Menino da Sua Mãe (Fernando Pessoa/Francis Hime) Interpretação: Marília Pêra - 1m43s
  13. Quem Bate à Minha Porta (Fernando Pessoa/Arrigo Barnabé) Voz: Vania Bastos - 4m00s
  14. Cruzou por Mim, Veio Ter Comigo Numa Rua da Baixa (Álvaro de Campos/Nando Carneiro) Interpretação: Jô Soares - 3m58s
  15. Autopsicografia (Fernando Pessoa/Tom Jobim) Voz: Tom Jobim - 1m17s
A capa é coisa fina, muito bem acabada, um luxo mesmo. As canções são muito boas. Algumas eu conhecia mas nunca imagina que eram de quem eram... se é que me entendem...

Este disco é uma constelação de grandes nomes da nossa música, literatura, humor e teatro. Tudo junto num só trabalho e em torno de um grande poeta. Só a música pra fazer isso né? É de empolgar.

E pra terminar a letra da minha canção favorita neste trabalho:

O Rio da Minha Aldeia
Poema de Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)
Música: Antonio Carlos Jobim

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia

O Tejo tem grandes navios
E navega nele ainda
Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está
A memória das naus.

O Tejo desce de Espanha
E entra no mar em Portugal.
Toda a gente sabe isso.
Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem.
E por isso, porque pertence a menos gente,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

Pelo Tejo vai-se para o mundo
Para além do Tejo há a América
E a fortuna daqueles que a encontram.
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia.

O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.
Lindo e profundo! O que mais dizer?

24 de agosto de 2006

Postando direto do Writely

Seguindo uma dica do Thalis Valle, eu estou testando o uso do Writely para postar daqui direto no blog aproveitando as funcionalidades desta ferramenta maravilhosa. Não é muito difícil de configurar (requer umas manhas) mas parece que funcionou né?! Inclusive fiz algumas edições depois de já ter postado e foi só republicar e pronto. Muito bom!

Eu uso o Writely já tem um tempão mas nunca tinha me atentado para postar daqui. Até que foi fácil. Mas dá pra perceber que ainda não estão totalmente integrados. Tive alguns problemas na hora de configurar pelo ID do meu blog, como eu tenho 2 blogs aqui no Blogger ele sempre se confundia e postava justamente no blog que eu não queria postar.

Outro que promete é o Zoho Writer. Estou testando há um mês e tenho gostado muito. O visual é bem mais bonito que o do Writely e parece ser mais rápido também. Hoje tentei postar de lá pra ver como é que ele funciona mas não consegui postar no Blogger. Quem sabe para o LiveJournal, o WordPress ou o Typepad a coisa seja diferente.

23 de agosto de 2006

Unopar Virtual uma bagunça? Espero que não!

Como todos devem saber, estou fazendo o Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Marketing na Unopar Virtual pelo PROUNI. EAD - Ensino a distancia. O curso é muito bom e eu estou adorando. Tanto que até desisti de fazer Direito - também pelo PROUNI - na UCSAL em Salvador (claro que não foi só por isso).

Só que a Unopar de uns tempos pra cá anda pisando na bola com seus alunos. Só na minha turma tem pelo menos 3 alunos - incluindo aí o meu caso, que eu saiba - enfrentando problemas diversos com relação a matrículas erradas, parcelas duplicadas e faltas que não aconteceram.

Um colega meu recebeu falta no dia da prova que ele fez e inclusive tem a nota lá no site pra provar que ele fez. Como é que foi que ele conseguiu fazer a prova sem estar presente é que ninguém entende. Outro colega perdeu por faltas no semestre passado mas está lá com as xerox das listas de freqüencias comprovando que ele estava presente nas aulas.

Meu caso é o mais intrigante. Pelo segundo semestre consecutivo eles me matriculam no semestre errado. No segundo semestre me matricularam no módulo I ao invés do II. E agora neste semestre novamente me matricularam no módulo II ao invés do III. Também no semestre passado ao chegar em casa vindo da aula entrei no site e ví que tinha recebido falta. A primeira do semestre.

Será que é porque tá crescendo muito rápido e há poucas pessoas pra resolver tantos problemas? O pior é que pra resolver é uma eternidade porque tudo é lá na sede em Londrina no Paraná. O problema da minha matrícula errada mesmo só se resolveu hoje, mais de um mês depois do início das atividades deste semestre.

É um curso excelente mas os alunos já estão começando a desconfiar. Esta desorganização e lentidão para resolver os problemas pode queimar a imagem da instituição. Eu mesmo já estou com um pé atráz. Vamos ficar de olho nos próximos acontecimentos pra ver se eles ficam expertos.

Quero crer que isso é temporário e que tudo vai ser resolvido logo.

22 de agosto de 2006

Mudanças de Hábitos

Ontem, das 14 até as 17 horas, aconteceu num o primeiro ensaio da minha nova banda, ainda sem nome, formada por mim no violão (baixo e teclado também), Márcio Mega nos teclados (baixo e violão também), Luiz Carlos Luthier no baixo, Márcio na bateria e Trifino Jr. nas guitarras (violão também). Foi num estúdio próprio para ensaios que passamos 3 horas maravilhosas sentindo aquele prazer de tocar novamente. E tocar apenas pelo prazer de estar ali "batendo um babinha" como convencionamos dizer.

Estamos trabalhando num arranjo para a música "Viajar" de Sérgio Pimenta. E demos também uma passadinha rápida na minha canção "Pra Valer" e já planejamos para o próximo ensaio a canção "Coração" de João Alexandre. Era pra ser só instrumentais mas todos chegaram com tanta sede que também queremos cantar as canções que gostamos. Os instrumentais ficam para uma outra hora. O que importa é que a gente fique animado e focado em algo que todos gostem. E foi o que aconteceu. O próximo é daqui a 15 dias e já estou ansioso. Postei até algumas fotos do ensaio lá no Flickr.

Hoje foi minha volta - a terceira tentativa desde 2003 - pra academia pra fazer musculação e tentar perder peso de maneira mais focada em resultados. Meu corpo dolorido me diz que isso vai dar certo ao mesmo tempo que me diz pra desistir. Mas desta vez não vou desistir. Não posso!

Tinha feito um blog para que todos os meus 7 leitores pudessem acompanhar o desenrolar de minha perda de peso mas era muito chato ficar postando todo dia o meu peso assim como era chato também acompanhar (acho eu). Acabei desistindo. Mas um dia destes descobri o Traineo e já estou fazendo isto por lá. Através da minha página na Traineo dá pra acompanhar legal o desenrolar da minha labuta e acompanhar até por gráficos como a coisa vai indo. Espero receber incentivos.

E assim vamos. Iniciando novos ciclos e encerrando outros. Desta vez deixei pra traz o sedentarismo físico e musical. Precisava disso. E como está sendo bom... me sinto bem!

11 de agosto de 2006

Segundo Tiago Vianna

Um som quebrado meio pra jazz meio pra funk. Tudo extremamente tão nítido que dava pra sentir cada instrumento como se estivesse aqui na minha frente. Foi o que senti quando ouvi "De Terceiro Grau", a primeira faixa do disco "Segundo Tiago Vianna". Ainda na loja, eu falei para o cara: "Vou levar! Nem é preciso ouvir o resto!". Já sabia que se tratava de coisa fina e então comprei na hora mesmo sem nunca ter ouvido falar dele.

Mas que som! O disco todo é brilhante. A maioria das músicas são de autoria do próprio Tiago Vianna - 6 ao todo - ou de parcerias dele com o João Alexandre numa música e com o Tiago Chiavegatti em outra. Também há uma canção de Sérgio Pimenta (nem precisa comentar), uma de Beto Tavares (este eu vou comentar mais pra frente) e outra de Mauricio Caruso, totalizando 11 faixas de pura Música Cristã Contemporânea Brasileira com letras que fazem pensar e canções trabalhadas e forradas por arranjos primorosos.

Falando nos arranjos eles são alternados por Thiago Pinheiro (1, 5 e 10), Tiago Vianna (2 e 6), Moisés Alves (3, 4, 8, 9 e 11) e Sérgio Pereira do Baixo & Voz (7). Acho legal um trabalho ter vários arranjadores porque o disco fica muito mais gostoso de ouvir. Não é sempre, mas o mesmo arranjador meio que se repete - um ato falho talvez, não sei - e o trabalho fica numa mesmisse só. O que não é o caso deste. A direção musical (Moisés Alves, Thiago Pinheiro e João Alexandre) souberam dosar isto de maneira brilhante.

Os músicos do CD foram - além do próprio Tiago, que além de cantar, toca violão muito bem - Thiago Pinheiro (percussão e teclados), Felipe Fidelis (baixo), Osmário Marinho (bateria), Maurício Caruso (guitarras), Moisés Alves (teclados), Silvio Depieri (sax), Gilson Oliveira (percussão), Sérgio Pereira (baixos), Marcelo Minicz (percussão), Paulo Signori (contra-baixo acústico) e Celso Marques (flauta). Que time! Ufa! Gravar com uma galera dessas deve ser maravilhoso!

O legal é que o Tiago não deixa a peteca cair. Além de entrecortar as canções arranjadas por diferentes músicos ele também chama pra cantar consigo duas personalidades maravilhosas. Numa canção, a Juliana Pimenta - filha do Sérgio Pimenta - que fez uma bela estréia cantando logo a música do pai "O que me faz viver". E em outra a divina Marivone - a voz do Baixo & Voz - canta "Santo dos Santos" num primoroso arranjo do Sérgio Pereira - o baixo do Baixo & Voz. As duas canções ficaram lindas.

Queria fazer um destaque aqui da canção "Santo dos Santos" composta pelo Jocumeiro Beto Tavares. Ouvi esta canção pela primeira vez em 1991 - portanto há 15 anos - quando o Biza voltou da Jocum com ela na cabeça. Cantamos ela muito por aqui, fiz arranjos vocais para um grupo daqui da minha igreja que a interpretaram num grande festival daqui e ficaram em segundo lugar. Quando o Beto Tavares veio aqui em 1993, nós pedimos autorização para gravá-la e ele - é claro - permitiu numa boa. Só que nunca a levamos pra estúdio. Quando eu ouvi esta canção neste CD eu variei entre a alegria de reencontrá-la e a tristeza de tê-la abandonado. Mas ainda vou gravar esta canção um dia... espero que o Beto ainda permita...

A voz de Tiago deixa bem claro de quem ele é um grande fã quando as vezes lembra a do João Alexandre. Acho isso normal. Quando eu cantava músicas de João Alexandre na igreja todo mundo dizia que eu cantava "igualzinho" a ele. Só que quando eu cantava canções do Jorge Camargo ou Carlos Sider ou até do Sérgio Pimenta também. Será que eu imitava? Não era intencional, juro!

Quero deixar a canção "De Terceiro Grau" aqui por ser aquela que me marcou quando ouvi o CD pela primeira vez. No encarte do CD o Tiago fala desta canção:

"A gente gosta de viver em perigo... É como se a qualquer momento tudo pudesse ir pelos ares! É tempo de se encontrar com Deus e sair de situações que colocam nossas vidas em risco!"

Muito legal esta maneira de enquadrar a questão sem utilizar "teologismos" ou "dialetos evangélicos", o chamado "evangeliquês".

De Terceiro Grau
Tiago Vianna

O que essa gente espera
Ao mesmo tempo despreza
Vê, se isola, desespera
Porque não pode apagar
Com as mãos este incêncio!

Bem à sua volta
Paixão e revolta
Puro gás à espreita do fogo acender
Tudo pelos ares em um só minuto

Queimadura de primeiro grau
Tem como ser tratada a tempo
Queimadura de segundo grau
Mais difícil, mas há tempo
Queimadura de terceiro grau
Não sabe se vai ficar
Curado por inteiro

Dessa impaciência, pura indigência
Truque, fantasia, passa-tempo fútil
Tudo pelos ares em um só minuto...
Vem pra perto de Mim!
É nesta direção que eu acho que a música cristã deve seguir. Com estilo, arte e muita criatividade. Fazendo o consumidor de música pensar. Chega de dar tudo mastigado gente! É hora de refletir! Espero que tenham gostado!

Aí está a lista das canções do álbum:

1. De Terceiro Grau (Tiago Vianna)
2. Fico Com Você (Tiago Vianna)
3. Ainda Chorar (Tiago Vianna)
4. O Que Me Faz Viver (Sérgio Pimenta)
5. Ato Falho (Tiago Vianna)
6. E Quem Não Quer (Tiago Vianna e João Alexandre/Tiago Vianna)
7. Santo dos Santos (Beto Tavares)
8. Pra Onde Ir (Tiago Vianna)
9. Visitação (Tiago Chiavegatti/Tiago Vianna)
10. Renovação (Tiago Vianna)
11. Quando Vier o Dia (Tiago Vianna)

Quem quiser comprar este disco basta ir lá na loja Edificai ou simplesmente ir direto pra página deste CD. Visite também o site do Tiago Vianna.

9 de agosto de 2006

Elementar meu caro Gurtner!

Já era madrugada quando lí pelo Bloglines sobre o II Desafio Escriba Café e resolvi ir lá conferir. Como ninguém havia vencido ainda (ou pelo menos ainda não tinham anunciado um vencedor) eu resolvi tentar.

Não vou contar aqui como resolvi pra não estragar a surpresa de quem está tentando resolver mas, até que não achei difícil não. Levei pouco menos de uma hora pra solucionar, redigir o texto da solução e enviar.

E qual foi a minha surpresa quando no outro dia recebi o email deles informando que havia vencido o desafio. Em seu podcast do dia 8 de agosto, o Christian disse que até então outros dois chegaram bem perto mas que eu tinha sido preciso. Elementar meu caro Gurtner... elementar!

Hoje chegou o livro-prëmio autografado, chamado A Cidade dos Milagres de autoria do próprio Christian Gurtner que já estou lendo e quando terminar vou postar por aqui uma resenha.

Quero agradecer ao Christian Gurtner pela oportunidade e por proporcionar - além do blog - o excelente podcast do qual sou ouvinte assíduo desde o início. Aliás desde os tempos do outro podcast da Oficina de Teatro do qual ele também participava. Valeu mesmo!

Já estou lá figurando no Hall da Fama do Escriba Café e já estou animado para novos desafios.

31 de julho de 2006

Devendo posts

Não sei bem porquê mas nestes últimos dias tem me dado tão pouca vontade de blogar. Sei lá porque mas eu cansei um pouco disso tudo. É temporário? Quem sabe! Com certeza é forte e difícil de superar. Faltam palavras, ânimo, inspiração... não é fácil.
Mas sinto que por dentro estou cheio de assunto. Falta só a ponte! E qual será? Este catalizador que pode dar vazão a todo meu texto que está aqui - sinto - mas não consegue sair. Me falta esta informação também...
Mas assim mesmo vou levando... uma hora isso tudo há de explodir e sair... com ou sem catalizadores...

14 de julho de 2006

Sublime Tarefa



Anteontem (11/7) finalmente aconteceu a gravação do coral para o CD de Endres Netto da ONG Sublime Tarefa. Acabei de adicionar lá no Flickr umas fotos que encontrei no Orkut. Foram meses de ensaios na igreja Monte Horebe e na PIB de Jequié. O coral ficou muito lindo! Aliás ficou tudo muito legal.


E eu finalmente voltei ao palco e solei numa apresentação ao vivo pro CD. Depois de mais de 10 anos sem fazer nenhuma apresentação por aí (cantar na igreja não conta), eu de quebra ainda gravo pra um CD. É uma boa maneira de voltar de pé direito. Isso eu agradeço ao Endres Netto que me deu esta oportunidade. Valeu cara!

Talvez isso me anime a finalmente entrar em estúdio e sair da eterna pré-produção em que se encontra meu CD.

13 de julho de 2006

Nunca fiz nada Direito


Como todos sabem, por causa daquela nota boa que tirei no ENEM em 2005 eu conquistei em janeiro uma bolsa integral pelo PROUNI para Tecnologia em Gestão de Marketing na UNOPAR. Tudo lindo. Tudo maravilhoso. Já tinha feito o primeiro semestre em 2005 e tinha parado por falta de verba. Então esta bolsa veio mesmo a calhar e assim eu continuei meu curso agora com tudo pago pelo Lula.

Só que agora no fim de junho eu também fui pré-selecionado para uma bolsa integral para o curso de Direito na UCSAL também pelo PROUNI (essa nota do ENEM deu um caldo). Muito legal, claro! Um orgulho pra mim! É um curso ótimo. Uma das melhores universidades particulares da Bahia. É imperdível! Ninguém jamais cogitaria em desperdiçar uma oportunidade destas... mas eu cogito.

De repente me vejo forçado - por mim mesmo, que fique bem claro - a escolher entre mudar completamente de vida e de cidade, deixar pra traz tudo (inclusive ficar longe de Giullia, da namorada, dos amigos e todos os clientes) e numa cidade onde praticamente teria que começar do zero e peitar um curso que - penso eu - não tem nada a ver comigo, e cujo futuro não me provoca nenhuma excitação, ou continuar em Jequié e terminar o curso que já estava fazendo - pois só faltam 3 semestres - e - comodamente, claro - não jogar tudo pra cima justo agora que as coisas estavam começando a andar...

Eu quero ir embora daqui para uma cidade maior sim. Mas penso que agora não é a hora. Depois, se eu consegui uma bolsa integral pra um curso de Direito na UCSAL posso conseguir de novo até algo melhor quando quiser no futuro. Porque não? Posso passar no curso que quiser e na universidade da cidade que quiser. Só não posso é me jogar de cabeça em algo que não me causa espécie. Pelo menos agora não.

Não que não goste de Direito. Até gosto e não tenho medo de fazer nada. Até medicina eu enfrentaria se quisesse. Esse é o problema! Eu não quero ir pra Salvador agora! Tudo se resume nisso!

Para aqueles que acham que eu nunca fiz nada direito... vou continuar na minha teimosia... eu acho que um dia serei alguém que dará orgulho a todos mas antes disso quero ter orgulho de mim mesmo. Talvez seja uma burrice não ir agora mas é uma decisão que coube a mim e quem somos nós além do produto das nossas próprias escolhas?

Eu fico e ponto.

27 de junho de 2006

83ª CBBa em Paulo Afonso


Cá estou eu em mais uma Convenção Batista Baiana. Desta vez nesta bela cidade de Paulo Afonso. Esta já é a minha terceira dando suporte às inscrições. É uma tafera recompensadora por me proporcionar o prazer de conhecer novas cidades. Eu particularmente adorei Paulo Afonso. É linda esta cidade. Me surpreendeu.

Nestes primeiros dias o trabalho é enorme. Depois folga um pouco. Depois voltarei pra falar um pouco mais da cidade.

O trabalho continua...

12 de junho de 2006

Iêda...

Amar não basta
Mas vivê-lo
Conduzindo
Como quem rema
Sem tristezas
Desafiando a bruma
Em busca da luz
Do outro lado do rio
Os dias dirão
Se valeu a pena

Também te amo!

31 de maio de 2006

Onde existe amor, Deus aí está


Acabei de terminar de ler este livro de contos de Tolstói que Iêda - minha namorada - me emprestou (ela sabe muito bem escolher livros). São 5 contos todos maravilhosos. Gostei principalmente do segundo: "Os Três Eremitas" que já conhecia mas não sabia que esta estória era dele.

É uma leitura leve, de fácil compreensão. Um livro pequeno (uma pena) com estórias simples - quase parábolas - mas que fazem pensar. O último conto se chama "De Quanta Terra Precisa Um Homem" que é um tapa na nossa cara capitalista.

Vai aqui um texto de sua autoria que se encontra no prefácio do livro e que apresenta bem o estilo de seus contos:

Não Prego e não consigo fazê-lo, embora ardentemente o desejasse. Somente poderia pregar através das obras, e minhas obras são más. O que eu digo não é sermão, mas apenas uma impugnação à falsa compreensão do ensinamento cristão e uma explicação de seu sentido real... Repreenda-me - é o que eu mesmo me faço -, mas repreenda a mim e não ao caminho que trilho e indico àqueles que me perguntam onde é que, em minha opinião fica a estrada! Se conheço bem o caminho para casa e sigo por ele bêbado, zigue-zagueando de um lado para outro... isso fará com que o caminho por onde passo seja errado? (Tolstói)


Isso é perfeito. Vale a pena ler esse cara! Amei!

30 de maio de 2006

Assim falou Steve Wozniak

Pra continuar com as frases sobre a escola...

As escolas fecham a nossa mente para o desenvolvimento criativo. Elas fazem isso porque educação tem que ser algo para todos, e isso significa que o governo tem que fornecer, e esse é o grande problema. As escolas treinam as crianças para fazer certas coisas de certas maneiras, e não para PENSAR, e não para considerar NOVAS SITUAÇÕES. (Steve Wozniak, co-fundador da Apple)

26 de maio de 2006

A verdadeira Coca-Cola preta!

Acabei de ler aqui sobre um novo sabor de coca-cola que estão lançando nos EUA. Eita se alguém estiver passando por lá compre umas e traga pra mim que será bem recompensado!

25 de maio de 2006

Mais que um Sonho...

...sempre é possível resgatar o tempo perdido, mesmo que seja no por-do-sol da vida, na hora undécima...
...quem tudo espera de Deus e nada faz, comete a blasfêmia da indolência. E quem tudo faz sem depender de Deus, comete a blasfêmia da arrogância...
...lugares só são santos quando santificados pela presença de homens santos...
(Cáio Fábio)

Finalmente terminei a leitura de um antigo livro do Rev. Cáio Fábio que me foi emprestado por minha namorada Iêda que por sua vez lhe foi emprestado pelo seu pastor. O livro se chama "Mais que um Sonho. Uma visão do Reino de Deus na História" e foi publicado pela Editora Vinde em 1988.

...há manifestações do Reino que independem da Igreja. Por exemplo, o movimento para libertação da Índia, nos dias de Ghandi, promovendo a justiça, a dignidade e a libertação do povo hindu da dominação inglesa, foi, sem dúvida uma vitória do Reino. (Cáio Fábio)

É um livro antigo, mas não há nada mais atual. É incrível como ele fala de coisas que já aconteciam naquela época e que ainda acontecem. Deixei entrecortado neste post citações de partes do livro que me chamaram atenção só pra vocês terem um gostinho.

Fumar é um hábito profundamente desnecessário e danoso à saúde, porém é um mosquito moral perto dos camelos morais que nós engolimos. Porque vivemos com a calúnia na boca, com a mentira na língua, com a soberba no peito e com o oportunismo nas mãos e não nos sentimos em pecado. (Cáio Fábio)

O livro tem pouco mais de 90 páginas mas levei mais de 6 meses pra terminar porque cada parágrafo está repleto de informações e análises. Se você não tiver muitíssimo ligado perde o fio da meada. E eu perdi pelo menos umas 5 vezes. E sempre que me perdia eu voltava do início. Até que finalmente me animei e achei concentração suficiente pra terminá-lo.

O Reino de Deus é mais que minha igreja, é mais que sua igreja, é mais que todas as denominações juntas. O Reino de Deus não se contém em perspectiva humana alguma. Tentar contê-lo e domesticá-lo é blasfêmia. [...] É maior do que dizem os teólogos da libertação, encerrando-o à fronteira política. É maior do que dizem os religiosos obcecados, aprisionando-o ao templo e às instituições religiosas. É maior do que a visão daqueles que só imaginam o Reino na perspectiva carismática. O Reino pode conter tudo isso, mas é maior que tudo isso. (Cáio Fábio)

Este livro me esclareceu muito. Posso dizer que abriu minha mente para a mecânica do Reino de Deus. Consegui expurgar vários tabus e interrogações que pairam sobre este tema. Não serei mais o mesmo...

O lado mau da condição humana não regenerada dos que estão presentes no denso ambiente do Reino (a Igreja) nos assegura intermináveis realizações de situações problemáticas e incuráveis. Mas o lado bom dos seres regenerados no ambiente do Reino nos conduz à esperança. E assim gira a História entre soluços e sorrrisos. (Cáio Fábio)

23 de maio de 2006

Silvestre Kuhlmann - Alvissaras!


Foi em julho de 2005 e foi incrível! O vendedor me deu este CD e eu olhei meio desconfiado. E o cara falou: "Ouve! É a tua cara! Você vai gostar!". Achei que era papo de vendedor mas fui ouvir... e realmente adorei! Ouvi a primeira música - parecia com o estilo do Milton Nascimento, nunca tinha visto aquilo no meio cristão - desliguei o walkman e disse pro cara: "Já ouvi o bastante! Embrulha que eu vou levar!". E foi assim que entrei em contato com a música do Silvestre Kullman.

Violões! Muitos violões! Dá pra resumir nisso os arranjos deste disco lindo. Mas também se destacam as percussões, os vocais. Mas acima disto tudo estão as maravilhosas composições do Silvestre com algumas em parceria com Glauber Plaça, Eliezer Costa de Aquino. Letras do jeito que eu gosto: Com conteúdo e muita brasilidade.

O Silvestre Kuhlmann prima pela qualidade. A começar pela capa e encarte. Uma bela peça de arte com telas e direção de Anderson de Goes Monteiro. A produção e Técnica de Som fi de Omar Campos. Os arranjos foram do próprio Kuhlmann. O Omar e o Silvestre assinaram a mixagem.

Além dos arranjos, as composições também são todas lindas. As letras, bom, só deixando uma aqui pra mostrar o quanto esse cara é bom:
Não Dá Pra Esquecer
Silvestre Kuhlmann

Não dá pra esquecer
Do Amazonas, do rio Madeira
Seus afluentes e igarapés
Seus peixes, tucunaré, jatuarana
Pirarara, boto, arraia

Não dá pra esquecer
Do seringueiro, do pescador
Do garimpeiro e do semeador
Da roça de macaxeira
Do urucum, bacuri, açaí
Do ingá, tucumã, cuia, cupuaçú

Não dá pra esquecer que eles são esquecidos
Não dá pra esquecer que nós somos omissos
Não dá pra esquecer da cunhã sem leite,
Curumim com fome, do caboblo doente,
Cunhantã que se vende

Não dá pra esquecer
Do marinheiro, obreiro, pastor
Que no meio da mata adora ao Senhor,
Que os criou e não se esqueceu
E espera que nós não nos esqueçamos
E em verbo e em ação nos unamos.
Isso é lindo. Acho que foi uma das primeiras que ouvi. Foi o bastante não?

Os músicos do CD foram - além do próprio Silvestre (voz, violões, viola e bandolim), do Omar (guitarra) e do Glauber (vocais e violões) - Ocimar de Paula (baixo) , Jica, Edir Gonçalves, Fernando Soler (percussões), Étore Silva (bateria) e o perfeito Osvaldinho do Acordeon. Nos vocais estão também o Joel Cardoso, o André Santana e a Sônia Polonca. Um belo time.

Até ver este CD eu estava meio desanimado com a nossa boa música. Até então sem novos lançamentos dos nossos grandes artistas e - pior - sem novos artistas se lançando. Apesar de não ser o primeiro disco do Silvestre foi pra mim o cartão de visitas dele. Outra parte de seu cartão de visitas foi a simplicidade e o carinho com que ele me tratou nas nossas conversas via Orkut. Adorei o cara. Quero trazê-lo em minha cidade quando der.

Aí vai a relação de músicas deste CD, como todas as músicas foram compostas pelo Silvestre Kuhlmann, apenas cito aqui as que tiveram parceiros:

1. Alvíssaras! (com Glauber Plaça)
2. Fome e Sede
3. Criatividade
4. Três Estados (com Eliezer Costa de Aquino)
5. Todas as Manhãs
6. Necessidade
7. Fervor
8. Estou em Tuas Mãos
9. Desperdício de Amor
10. Não dá Pra Esquecer
11. É Hora

E antes que eu me esqueça, pra comprar este CD e outros do Silvestre e de tantos outros verdeiros artistas que fazem a verdadeira música cristã autenticamente brasileira, visite a loja do VPC.

15 de maio de 2006

Novidades

Maio tem sido muito apertado. Finalizando sites, pesquisando para os trabalhos e estudando para as provas da faculdade. Isso tudo enquanto meu carro resolveu dar zilhões de defeitos e me fez ficar horas plantado em algumas oficinas da cidade. E tudo isso de uma vez só.

Fora isso?

Finalmente chegou o pacote com os CDs de instalação do Ubuntu e vou poder experimentar este SO que todos dizem que é maravilhoso.

A Poliana transferiu pra mim a autoridade sobre a comunidade do Jorge Camargo no Orkut. Isso abre possibilidades para que possamos criar algum tipo de integração entre o site e a comunidade do Orkut. Vou tentar pensar em algo neste sentido. Só não estou conseguindo atualizar algumas configurações lá. É um bug do Orkut que não permite editar comunidades com mais de 1000 membros.

Iniciei minha dieta pra perder 30 quilos e voltar a ter 75. Já não aguento mais ficar assim. E já que o tempo voa tenho que me apressar pra que possa aproveitar meus dias de maneira saudável. Vou conseguir!

Estou quase terminando o livro do Caio Fábio. Um livrinho fino mas que é duro de terminar! Exige uma concentração tremenda senão não dá pra entender nada. Mas até que agora no final está mais fácil (ou eu já me acostumei) de digerir tanta informação. Quando terminar vou (tentar) fazer uma resenha do livro aqui. Mas já dá pra adiantar que é um livro excelente! Pena que já não se acha mais dele! É um livro bem antigo!

Bom! É isso! Deixa eu voltar aqui pros textos da faculdade!

3 de maio de 2006

A Web e o Oxigênio


Estava ontem lendo um texto da revista Marketing #387 e me deparei com um artigo de um dos colunistas que falava que todo mundo é viciado em Internet. Ele explica em como as pessoas mudaram seus hábitos depois da grande rede e que hoje passam uma mensagem pelo MSN para seu colega da mesa ao lado pra chamar ele pra ir almoçar.

O tal colunista deve ser um viciado em mídias digitais. Chego a pensar que quando ele descreve tudo aquilo, fala de sí. Não concordo com esta maneira de pensar. A Internet veio pra nos humanizar. É claro que houve - e sempre há - esse boom inicial onde as pessoas se vislumbram com a coisa toda. Foi assim no inícil da década passada e sempre é assim com os novos usuários que estão descobrindo a Web.

Fazem como as crianças quando se lambuzam com doces e chocolates sempre que tem oportunidade porque não é sempre que os pais deixam. Mas elas também enjoam. Por isso eu tenho certeza que isso passa. Me iniciei na internet em 1996, portanto há 10 anos. Nesta época também passava as madrugadas fuçando a rede só pelo prazer de estar nela. Não existia praticamente nada em português. Mas dava um prazer enorme estar navegando no maravilhoso Netscape.

Hoje vejo a rede como uma plataforma, uma ferramenta (e que ferramenta ein?), um canivete suíço elevado a uma potência infinita. Aos poucos isso tudo se tornará mais claro e esse boom todo irá passar. São coisas de nosso Brasil em desenvolvimento que precisa ao máximo acelerar a inclusão digital para que não tenhamos booms sobre booms. Veremos esta efervecência se dissipar e o que vai ficar quando a poeira baixar? Na minha opinião serão usuários concientes do verdadeiro papel da grande rede.

A rede será para nós humanos como o oxigênio. Presente em todos os lugares, porém, invisível (adeus fios) e absolutamente indispensável. Mas sem os viciados, por favor, né? Ou alguém já viu alguém sentir prazer apenas respirando?

Só pra lembrar o que aprendi...

Este post do blog PCnotas me lembra algo que aprendi há pouco tempo mas que mudou completamente minha maneira de pensar, viver e agir. Vale sempre reler e meditar em algo tão grande...

2 de maio de 2006

4 anos


União
Originally uploaded by Joe Edman.
Em todo dia 2 de maio comemoro o surgimento de alguém na minha vida que foi pra mim um verdadeiro divisor de águas. Depois dela não fui mais o mesmo. Amor entre pai e filho é algo que vai crescendo com a convivência.

Nosso amor cresceu nas noites em que passei em claro tentando em vão fazer com que ela dormisse. Nas inúmeras tardes em que chegava em casa pra ficar com ela em casa porque a empregada tinha que ir embora e eu ficava com ela - todo os dias, sem excessão - na rede de minha casa.

Eu comprometia meu trabalho com isto mas valeu a pena cada minuto que eu deixava de trabalhar pra ficar com ela. Até hoje - em todas as vezes que ela fica comigo - eu faço questão que ela durma comigo na mesma cama. É algo muito gostoso, indescritível. Só sendo mesmo pai pra entender.

Hoje em dia, sinto que temos uma grande amizade e cumplicidade. Isso era pra ser comum entre os pais e seus filhos por aí, mas infelizmente eu sei que não é. Por isso que eu tenho tanto orgulho disso.

28 de abril de 2006

Caçador de mim: Quase

Bela maneira de refletir sobre a vida. Leiam esta pérola do Veríssimo que o Lesteman colocou em seu blog. É pra refletir muito...

...Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

27 de abril de 2006

Segurança

O silêncio
Que me invade o coração
E a solidão
Que me atormenta
E me rói
Não demora
Passa
Se move
Como o vento
Diante da Tua
Presença

Joe Edman

25 de abril de 2006

Eu blogo aqui.

O Mauro Amaral pediu e aí está. Tá diferente de todos (porque apareci nela) mas não tinha outra então foi esta mesmo! Quando fiz as fotos devia ter pensado nisso e tirado uma só do quarto. Mas dá pra ver meus CDs, o piano, o teclado e o notebook. É isso!

24 de abril de 2006

Usuários 1.0

Um dia destes eu comentei no post "Na Web 2.0, email ainda é 1.0" do Meio Bit o seguinte:
O problema não é a Web ou o Email ser 2.0 ou não. O problema é que os usuários ainda são 1.0 (sendo bastante otimista). O usuário médio não sabe usar nem o email direito.
O que achei interessante é que o Rafael Lima em seu blog acabou escrevendo um artigo sobre isso. Meu blog não é sobre tecnologia (estou pensando em criar um) mas acabei me envolvendo tanto nessas últimas conversações que rolaram na blogosfera nas últimas semanas que achei que devia comentar um pouco mais disso por aqui:

Já que cunharam o termo Web 2.0 porque não o termo Usuário 1.0?

Se fossemos fazer um gráfico de nossos usuários. O "long tail" dos usuários de internet seriam 1.0. Ou seja, a grande maioria não sabe direito nem o que a própria Web significa.

O que elas fazem?

Mesmo utilizando banda larga, se conectam, entram no MSN Messenger e falam com algumas pessoas, leem e enviam seus e-mails, entram no Orkut mandam um monte de mensagens, depois entram no MeuOrkut e mandam um monte de scraps em massa pra todo mundo. Bisbilhotam os perfis de um monte de gente. Abrem alguns arquivos do Powerpoint pra ver alguma animação, e talvez entre em alguns portais pra ver o que vai rolar na novela de amanhã ou para ler jornal e só.

E apesar de fazer tudo isso elas só fazem porque aprenderam - na maioria das vezes - passo-a-passo, ensinados por um amigo, ou um filho ou um técnico. Não entendem o conceito do que estão fazendo.

E precisam ter que entender?

Sinceramente? Não. Elas não querem ter que entender pra usar. E este é o problema dos outros serviços. Quem é que se habilita a explicar o conceito de Feeds RSS pra um usuário? O novo Google Calendar é maravilhoso e muito fácil.

Fácil? Pra quem? Fui tentar mostrar pra um colega que também é programador e ele achou complicado. E é mesmo complicado. Quem consegue entender de primeira como ele funciona é porque já está muito acostumado com o GMail e com outros aplicativos da Google.

Quem cai num Calendar de primeira com certeza sente dificuldades. E olha que o Google cuida muito bem disso e tenta criar interfaces muito práticas. E os sites que não cuidam tão bem disso? Fica quase impraticável ensinar um usuário.

Uma web para meus pais!

Quando eu ver meus pais utilizando estes novos serviços sem ter problemas com conceitos e sem ter que me pedir ajuda aí sim. Não é o usuário que tem que ser 2.0 e sim os aplicativos tem que ser 10.0 pra fazer com que estes usuários 1.0 se tornem seus usuários e finalmente aumente seu market share.

A web ainda assusta!

Ieda Sampaio: Tempus Fugit. Carpe Diem (O Tempo 6)

Não sei se foi uma homenagem ao meu blog mas eu gostei muito deste texto que a Iêda (que não por acaso é minha namorada) postou no blog dela.

23 de abril de 2006

Muita gente boa!

Uso o Bloglines faz uns 8 meses e minha lista de blogs que acompanho havia crescido muito desde então. Mas nos últimos dias, uma onda de discussão sobre a nossa blogosfera sacudiu a poeira da mesmisse que havia e em meio a esta efervecência acabei descobrindo um monte de blogs muito bons. Minha lista de blogs saltou de 70 e poucos pra mais de 120. Ou seja na prática descobri uns 50 blogs novos e que passei a acompanhar desde então.

E seguindo a onda até mesmo pra não deixar a peteca cair, vou listar aqui todos os blogs que já acompanhava e os novos que passo a acompanhar desde então:

Blogs que já acompanhava:

Claudiofania, Andando por Essas Terras, Carreira Solo, Consultoria On-Line, ErickX's Blog, Nossa Jocum, Erlon, Editora Mundo Cristão, Escriba Cafe, PC Notas, Poemas, Lamentos e Orações, Referente, ViuIsso?, Caroço, Versão TXT, A Caverna, O Mundo das HQs, Brainstorm #9, Contraditorium, Serendipidade, Cidade Sombra, LitoSoft Blog, Jorge Camargo, Música Cristã de Qualidade, MPB Crente, Gerson Borges, voz, Todo o Coração, Márcio Borges Reis, RadarPOP, Charges.com.br, Kibe Loco, Leilões Bizarros, Cocadaboa.com, Diburros, Propaganda DeAZehPan, Iêda Sampaio, Coisas da Vida, Sonhando e Vivendo, Meio Bit, fechaTAG, BlogBits Podcast, Bruno Torres, Delphi no dia a dia, Ciro Feitosa, internet tête-à-tête, Gui Leite, Digitalminds Blog, Mobile Life, euPodo.com.br, fator W, Google Underground, ruf space, Japs, Joel on Software, os humanos do orkut, Revolução, Rodrigo Muniz, Tableless, Weblog - wrodrigues.com, gamedevblog, usina - power to the people, holiveira.com, DesignSuite, Usabilidoido, Bruno Alves, Blog do Noblat e Josias de Souza.

Blogs que passei a acompanhar:

Brand Game, CrisDias weblog, novo-MUNDO, pixeladas aleatórias, PsychoPenguin WebLog, gustavo gawry, Blog sobre Linux, Blogue da Magui, イサム, Blog do Jônatas, BlogAjuda, Blog do Leôncio, Vírgula-Imagem, blog palmeirense falador, Contos da Escola, MauricioTakahashi.com, Bender Blog, Business Opportunities Weblog Brasil, silvio meira: dia a dia, bit a bit, Eyesmiles, fechaTAG, Horácio Pastor Soares, C e b o l a@, felipe memória / i love users, Usabilidade & Arquitetura da Informação, [ gustavo moura ] Blog, acontece, Angeruzzi.com, Degustação de Webmarketing e Webdesign, Dudu Figueiredo's, Erick Souza, Garota Sem Fio, Gustavo Cardoso, herbetferreira.com, Luciano Ayres, O Blogue do Janio, URLs Sinistras, ZeroSeis, Bruno Dulcetti - Blog, Cosme Blog, Histórias de Formigas e Gafanhotos, Síncope e Usabilidade.

E teve mais estes aqui:

Have Some Tea?, A Companhia, LedStyle, Rafael Lima, Observador e Charles? Que Charles?.

Agora já pensou se não fosse o bendito do RSS pra acompanhar tanto blog?

22 de abril de 2006

O Circo

Há uns meses atrás assisti junto com a namorada ao filme "O Circo" do Chaplin. Acho que foi um dos últimos. Já existia cinema falado e o Charles heroicamente teimava em defender que cinema tinha que ser mudo. Lutou muito mas acabou desistindo e chegou a fazer alguns filmes falados. Mas não era a mesma coisa.

Assisti um trailler de um filme falado dele onde ele tenta, num barco, matar a mulher. Ele conseguiu trazer - pelo menos naquela cena, o filme todo eu não assisti - para o cinema falado o seu talento maravilhoso.

Preciso parar pra assistir a toda a obra desse cara. Quando era pequeno eu assisti a quase todos mas já não lembro direito de muita coisa. Ele era perfeito.

20 de abril de 2006

Ieda Sampaio: Todo dia era dia de Índio.

Aliás! Ainda falando nela! Não posso deixar aqui de agradecer o post dela em minha homenagem no dia do meu aniversário! Valeu mesmo! Beijão!

19 de abril de 2006

Serendipidade

será
a iminência do inevitável
que me faz
emudecer
perante o mero
pensamento de tua
ausência?

será
a amargura insana
que incendeia
meu interior
e embrulha
meus sonhos
diante de
tamanha
dor?

Joe Edman em 19/04/2006

17 de abril de 2006

Falta uma boa Pesquisa sobre a Blogosfera

Acabo de ler este artigo no site Revolução.etc onde o Henrique Costa Pereira desenha seu ponto de vista sobre a Blogosfera brasileira. Ele pergunta a seus leitores: O que falta na blogs brasileiros?

Minha opinião é que falta exatamente isso que ele fez ao procurar saber o que falta... falta pesquisa. É necessário entender o que as pessoas - leigas ou não no assunto - acham sobre o que é blog.

Já tentei fazer isso perguntando aqui e alí tanto nas minhas andanças por diversos blogs na net ou pessoalmente para as pessoas. O que absorví da maioria dos meus pseudo-entrevistados (já que ninguém sabia que eu os estava entrevistando) foi o seguinte:

as pessoas...
  1. Não sabem direito o que é blog, não sabem o que fariam com um. Quando perguntei a alguns: "você tem blog?" a maioria das respostas foi um desdenhoso "pra que?";
  2. As que sabem, acham que blog é coisa de menina, onde colocam um monte de GIFs animados dizem o que estão sentindo hoje;
  3. Por causa do ponto 2, a maioria dos homens acham esse negócio de homem blogar coisa de caras que tem dúvidas sobre a sua sexualidade;
  4. Faltam blogs especializados. Quando os pontos 1,2 e 3 estão superados, os que blogam não entendem direito o conceito nem a utilidade de um blog e acabam blogando sobre tudo o que no final equivale a blogar sobre nada (desse ponto eu entendo porque meu blog mesmo é um que se encaixa neste ponto, aqui eu posto de tudo mesmo e realmente foi esta a minha intenção, mas );
  5. Quando inclusive o ponto 4 é superado e o sujeito tem um blog até razoável sobre um bom tema, ele não linka ninguém. A maioria dos blogueiros olham apenas para o próprio umbigo, não linkam ninguém e chega a parecer que ele bloga pra sí próprio. Pra poder de manhã entrar no blog e passear orgulhoso por sua criação;
  6. Ser formadores de opinião é algo que está tão distante de nossos blogueiros quanto a terra está distante de plutão. Quase uma utopia. A maioria replica o que vê na internet de interessante: colocam links para vídeos, colocam fotos, poesias, textos de outros, letras de músicas, não adicionam nada;
  7. Se as pessoas não sabem direito nem o que é um blog, imaginem como utilizar um, não sabem ler ou não tem concentração nem capacidade de abstração suficiente pra entender o que está alí, escrevem muito errado, comentam pouco e quando raramente comentam, geralmente o que se vê é: "legal teu blog, visite o meu e comente também!";
É isso. Precisamos de mais pesquisa sobre este tema pra podermos desenvolver uma cultura nesse sentido.

16 de abril de 2006

Sobre Ética

Em minhas andanças por blogs que costumo ler, achei hoje um excelente texto sobre o lançamento de um livro sobre ética. Leiam o artigo...

11 de abril de 2006

Meme: Eu também quero blogconversar!

Não entendi direito o que o cara quis dizer mas resolvi aceitar esse negócio de fazer um Meme (?). Tudo bem! Simples assim: Você faz um post dizendo 5 blogueiros com quem você quer "blogconversar" e linkando para o post onde você descobriu esse meme.

Quero blogconversar com:

- LitoSoft Blog
- Travessia
- Ciro Feitosa
- Cidade Sombra
- Escriba Café

Blogconverso com:
- Fabio Seixas, versão txt

É realmente só pra ver no que dá!

3 de abril de 2006

Cidade Sombra

Desde o dia 28 de março eu estou em uma nova empreitada. É o blog Cidade Sombra, onde eu, cansado de ver tanta coisa estranha acontecer aqui na minha cidade, tento exercer o papel de cidadão fazendo críticas às coisas que acontecem por aqui.

Cidade sombra é uma maneira de tentar denunciar de forma dramática o fato de nossa cidade - que é chamada tão carinhosamente por todos aqui de Cidade Sol - estar mergulhada numa terrível situação da qual eu não tenho muita esperança que ela saia tão cedo. Todas as esperanças que eu tinha em todos os políticos daqui se acabaram. Então acho que a forma de contribuir é fazer o que está ao meu alcance. Escrever.

Jequié é uma cidade maravilhosa e com um potencial maravilhoso. Mas parece que os daqui não conseguem entender isso. Não tem senso de patriotismo, de bairrismo. Não tem orgulho da sua própria cidade. Se puder tirar daqui eles tiram. Colocar eles não colocam. É preciso que os de fora venham falar pra eles? Então que seja assim!

Não sou daqui mas aprendi a amar esta cidade. A defendê-la. Quem me conhece sabe que sempre resisti à tentação de simplesmente ir embora. E já que vou ficando preciso colocar pra fora o que está há tanto tempo atravessado na minha gartanta, e eu sei que na de muitas outras pessoas também.

E vamos lá! Pra visitar o novo blog clique aqui...

29 de março de 2006

Mudanças no Blog

Meus 2 leitores assíduos devem ter percebido as mudanças recentes que fiz por aqui:

Propaganda
Após ouvir um podcast sobre propaganda na net resolvi reativar uma conta do AdSense que tinha desde 2003 e voltei a colocar propaganda aqui no blog. Não pretendo ficar rico com isso claro mas acho que pode render alguns centavos ao cabo de um ano. Sempre que puderem cliquem numa destas propagandas... assim eu ganho mais!

Fotos
Já tinha colocado um badger em Flash do Flickr na barra lateral do site a um mês atrás e gostei tanto que resolvi colocar outro badger agora em XHTML com miniaturas das fotos que posto por lá.

Minhas Andanças
Coloquei esta nova sessão para compartilhar com vocês os sites que tenho visitado nos últimos tempos. Quem assina meu Feedburner já recebe diariamente os links que posto no del.icio.us mas quem não usa agregadores não tinha como acompanhar. Então aí está!

Tagolândia
Coloquei no final do blog uma área com as tags que uso com maior freqüencia lá no meu del.icio.us. Quanto maior é a palavra significa que maior é a quantidade de sites relacionados com aquela tag. Isso pra mim é revolucionário... um dia falarei aqui sobre isso.

Bem! É isso! Espero que tenham gostado das mudanças. Sei que é muita informação junta numa mesma página mas a net está evoluindo pra isso mesmo. Fico devendo a mudança de endereço do meu blog. Ainda não foi possível. Por enquanto vou me virando com o Blogger mesmo. Até agora tem dado pra levar!

28 de março de 2006

Ensaiando

Estou iniciando os ensaios para meu primeiro CD. Tenho falado aqui deste CD mas volta e meia deixo de lado o projeto em nome de outras coisa nem tão importantes assim. Ontem estive com um amigo em um estúdio e respirar música novamente depois de tanto tempo me fez voltar a querer que este trabalho saia de dentro da minha cabeça e se torne realidade.

Vou produzir umas 3 canções mas quero que o disco tenha várias caras, por isso, contactei hoje Adson e vou ver se coloco uma duas na mão dele. Márcio Borges também irá produzir pelo menos umas 3. Quero ver se o Hiran Monteiro (meu primo) também faz umas 3. Se conseguir que tudo vá adiante ainda quero fazer umas 2 com o Eraldinho, mas nem o contactei ainda...

Enfim quero apenas deixar aqui para meus 2 leitores que eu estou animado... espero que orem por mim e pelo trabalho... espero também receber algum tipo de icentivo aqui pelos comentários.

27 de março de 2006

O Diabo e a MPB

Já que estou postando tão pouco, decidi também por aqui dar dicas de coisas que leio na rede. Pelo menos meus 3 leitores vão ter o que ler.

Acabei de ler um texto do Carlos Calvani (que ele indicou pelo Orkut na comunidade do Jorge Camargo sobre Teologia e MPB) sobre a imagem do diabo na MBP. Um texto muito profundo que tenta analizar todas as faces teologicas projetadas em canções intencionalmente ou não pelos compositores de nossa música popular. Muito interessante! Vale perder um tempinho e ler!

Espero que gostem da dica! Se você usa Orkut, vale a pena conhecer também a comunidade...

26 de março de 2006

Aristeu Pires no Orkut

O Aristeu Pires - o criador de "De Vento em Popa", "Roseira" e "Canção para Pedro", entre outras tantas canções - sempre responde e comenta numa boa tudo que é levado à sua comunidade no Orkut. Estava lendo agora a pouco uma de suas respostas e resolvi postar por aqui um trecho que ele escreveu por lá e que é a mais absoluta verdade:

Hoje ouço algumas coisas que são tocadas em certas igrejas que não provocam (pelo menos em mim) uma aproximação maior de Deus, nem por um impulso para o louvor, nem por ouvir palavras que me revelam o amor de Deus. Muitos grupos visam o som como um fim em sí mesmo, sem uma preocupação com a mensagem que se quer passar, além do show.

17 de março de 2006

Blog do Gladir Cabral

Conheço o blog do Gladir Cabral já tem um bom tempo. É simplesmente maravilhoso. Ele posta pouco, mas quando posta...

http://gladircabral.blogspot.com/

15 de março de 2006

Razão e Coração

A razão é o pensamento racional... que te diz o que é certo fazer mesmo quando o coração não quer aquilo... a razão é a conciência ética e moral... o coração é a consciência passional e impetuosa... razão e coração raramente concordam sobre um mesmo tema...

14 de março de 2006

Coerência

Coerência
Paulo Cezar

Mesmo que no coração
A intenção seja correta,
Ainda que no pensamento
A coisa esteja certa
É preciso não deixar, que uma só
Palavra ou atitude
Desmereça o que vale
E atrapalhe a quietude
De quem cada dia busca ser melhor

Os olhos não enxergam lá dentro
E a alma é um mistério profundo
E só quem a criou conhece bem perto
E por isso, toda a aparência, pode ser doente,
E nem sempre, o que se sente
Pode ser mostrado.

É melhor que seja assim:
Coerente que combine,
Pra que o amigo não confunda,
Não se engane e não me enxergue
Diferente do que realmente sou.

(Logos)

6 de março de 2006

A última derrota

Perdi novamente!
Que devo fazer?
Talvez encher a cara
ou tentar me viciar
na lucidez
da minha realidade...

5 de março de 2006

Canção de Pedro

O Adriano sempre diz que gosta desta letra e que acha que a fez quando estava dormindo. Se ele fez isso quando dormia eu posso afirmar que ele tem um sono muito lúcido. Criar uma letra que tenta passar uma história em primeira pessoa - e que não soe estranha - é muito difícil. Mas aqui ele conseguiu.

É uma maneira muito própria de falar da Graça:
Canção de Pedro

Ainda me lembro quando vieste aqui,
Sentaste a mesa e partiste o pão,
Dizendo coisas que eu não entendia, e dizia "não"...
E fiz promessas de jamais faltar,
Andar contigo, te acompanhar;
Mas quando foste ao monte em meu lugar,
o primeiro fui a te negar...

Ainda me lembro... o tom da Tua voz,
Quando lavaste aos pés de todos nós,
E o teu olhar dizia que um dia eu ia entender;
Mas não podia nem imaginar,
O sofrimento que te vi passar
Quando subiste ao monte em meu lugar,
Mesmo sem merecer...

E hoje aqui, Tu vens a me dizer
Que nada importa tudo o que passou;
E me convidas a andar contigo,
Me aceitas como sou...
Se o Teu rebanho vens me confiar,
Tudo o que tenho quero te entregar
A minha vida é tua:
Nunca mais eu quero te deixar...

Letra: Adriano Estevam
Música: Adriano Estevam e Joe Edman

25 de julho de 1996
O ruim é que não dá - pelo menos por enquanto - pra deixar aqui a música pra vocês ouvirem. Assim que for possível eu irei disponibilizar isto. Até lá... espero que analizem esta letra.

3 de março de 2006

Banda de Boca

Estava numa churrascaria todo tranquilo conversando com um amigo e assistindo o Jornal Hoje quando de repente tomei um baita susto e gritei pro meu amigo, apontando pra TV, quase sem acreditar: - "Ei!! Aqueles lá são meus primos!!"

Já tinha lido sobre eles num recorte de jornal que meu tio Ezequiel tinha me mostrado todo orgulhoso há um tempo atráz, mas era a primeira aparição do Banda de Boca na TV e logo na Globo. também fiquei orgulhoso. Embora até então não conhecesse direito os outros componentes da banda eu sempre admirei o talento do Hiran. Sabia do projeto dele de montar uma banda assim desde sempre (ele me falava enquanto ouvíamos minhas fitas do Take 6). Mas aquilo era totalmente surreal. Fiquei ali assistindo...

Quero falar aqui do primeiro CD deles: Uma bela capa, simples, limpa e com uma comunicação impecável. A boca perfeita sobe um fundo branco e o CD com o próprio nome da banda torna este primeiro trabalho ainda mais cool e mostra o quanto os componentes são antenados e tem bom gosto.

O repertório é maravilhoso. O Hiran é um gênio - não é porque é meu primo não - porque soube escolher lindas peças da MPB, do POP e do Clásico - além de composições próprias - e realmente transformá-las. O trabalho de arranjo em cada canção é inusitado. Foi muito bem pensado e arranjado. Aquilo não foi feito da noite pro dia! Ele investiu um bom tempo naqueles arranjos.

O disco foi muito bem gravado. Alguns dos componentes do BDB - senão todos - acham que a mixagem não foi bem feita e nem gostam muito do trabalho que foi feito, tanto que nem pensam em disponibilizar mais cópias. Eu acho que é um desperdício. E quero aqui - inclusive - fazer um apelo ao BDB que reconsidere e faça mais cópias desse CD. Existem muitos fãs que adorariam ter esta obra de arte e é uma indelicadeza deixar-nos assim na mão. Digo deixar-nos porque eu mesmo não tenho este disco. E queria MUITO ter uma cópia. Tá aí o apelo!

Aí está o repertório:
  • Introdução (O Instrumento é a Voz)
  • O Bordado
  • Onde Você Mora
  • Por Isso Eu Corro Demais
  • Sailing
  • A Massa
  • Ponta do Cáis
  • Construção
  • Eu Sei de Mim
  • Eu Só Quero um Xodó
  • Palavra
  • Pedacinho do Céu
  • Água de Cacimba
  • Haikai
  • Maria
  • Bachianas Brasileiras nº 5 (Villa Lobos)
Eu fiz questão de colocar aqui a foto da primeira formação do grupo. A Semirames - que aparece em primeiro plano - saiu e deu lugar a Kadija que também saiu e então eles então optaram por continuar apenas com 5. Acho que foi uma perda muito grande. Eu preferia esta formação aí. Era perfeita. Ainda tenho esperança de que ela volte!

O primeiro show deles também é muito bom. Estiveram aqui umas 3 vezes. Fui em uma. Na época eu não pude ir vê-los outras vezes e me arrependo. Mas fazer o que? Tava trabalhando muito... o segundo show eu ainda não pude ir assistir. Mas quem já viu me contou que está muito bom. Quero tentar ir ver em abril... quem sabe!

Bom! A minha impressão é que eles ainda vão dar muita notícia! Principalmente depois que o segundo CD - que tá no forno - sair. Ainda vou ver essa turma no Programa do Jô.

2 de março de 2006

A nova fase de minha filha...

Nestas férias, precisamente no dia 24 de fevereiro, minha filha deixou de usar o bico. Depois de inúmeras tentativas que sempre eram frustradas porque ela que via no seu bú-bú - que é como ela chama o seus bicos - quase que um consolo.

Ela andava sempre com um bico na boca e outro na mão (quando não tinha um em cada mão). Eu achava o maior charme. Realmente achava lindo ela de bico. Mas recentemente percebemos que isso estava entortando sua dentição e resolvemos tirar.

Já há uns 6 meses tentando, no início não tinha jeito, mas aos poucos fomos tirando durante a noite depois que ela já tava dormindo. Ela sempre chorava. Mas, finalmente, na noite de 24 de fevereiro ela não chorou mais. Escondemos o bico e pronto. Ela até pediu mas já meio que conformada. Durante aquela noite eu fiquei olhando ela dormir sem bico. Tive muita dó dela, ela batia a mão na cama - dormindo - tateando atrás do bú-bú e depois colocando a mão na boca como se tivesse achado. Me emocionei muito...

Agora vamos pra esta nova fase. Em maio ela faz 4 anos. Já está grandinha, já vai ao banheiro sozinha, até toma banho... fala muito bem, gosta de música, canta, já escreve o nome dela, já loga no computador e abre o Paint pra desenhar, é descolada com tecnologia e assiste TV como um adulto. Gosta de filmes e desenhos e não se intimida quando tenta falar nomes dos personagens mesmo que o faça meio que no tato.

Adoro dormir com ela! Adoro ficar com ela! Ela me passa tanto! O tempo todo! O tempo vai passando e eu descubro que ser pai é ser amigo, é fazer coisas junto, é caminhar na praia e ouvir suas histórias mesmo que meio que sem nexo ainda. É ter a cumplicidade de sussurrar no ouvido um do outro segredos que as vezes nem compreendo. Isso é que é amor! Sem motivos, sem desconfiança, com liberdade e paz! Isso é lindo!

Hoje eu a levei pra mãe e já estou morrendo de saudades... e pensar que há apenas um ano atrás eu ainda trocava as fraudas dela... como é rápida a evolução de uma criança...

[Update: No fim do ano ela teve uma recaida mas que acabou em dezembro... tudo bem né? É um bebê!]
Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.