25 de setembro de 2007

Acesso discado em 2007?

Fiz este post em 2005 falando da heresia que era - já naquela época, imagine hoje - o acesso discado. E não é que aquele meu cliente até hoje estava usando o mesmo bendito - e lento - modem para acessar a internet? Digo estava porque hoje estive lá e o tal modem havia queimado! Mas ele já está procurando outro pra comprar e - assim - substituir o falecido...

Segundo ele é pra receber fax no PC e ele vai adquirir banda larga ainda neste mês. Mas eu duvido muito...

O Tempo 12

"A gente é quem mata o tempo... mas é ele quem termina por nos enterrar..."
(Brás Cubas apud Machado de Assis)

22 de setembro de 2007

Copiar pra ouvir é Pirataria?

Se for levar ao pé da letra copiar uma música sem pagar pelo uso dela é ilegal. Mas não é pirataria. Pirataria é comercializar algo que não é produzido ou não é legalmente seu. Mas também é igualmente ilegal. Posto este conceito, acho que a pirataria deveria ser combatida e seus contraventores punidos. Mas o simples ato de ouvir uma música baixada na internet - que também é ilegal perante a lei - sendo que ninguém ganhou com aquela transação não considero que seja uma contravenção. E quem o faz não deveria ser punido e muito menos discriminado.

O princípio é simples... quem baixa pra ouvir apenas no computador geralmente não são pessoas que faziam parte do mercado e sairam dela pra usar pernas de pau e tapa-olho... é quem não tem dinheiro pra comprar! Vou pela idéia de quem tem dinheiro compra CDs. Quem curte MESMO uma banda ou um cantor gosta de ter seus discos e manter sua coleção. Gosta de manusear o encarte enquanto saboreia os primeiros momentos ouvindo um novo CD de seu "ídolo". Quem não faz isso e baixa um disco desse pode até se tornar - no futuro (porque geralmente são adolescentes e estudantes) - um consumidor em potencial. Digo isso porque quando era adolescente e não tinha grana - nem internet, claro (sou velho) - eu e meus amigos copiávamos as músicas dos LPs dos outros em fitas K7 pra ouvir. E hoje eu compro tudo que eu gosto. Tinha coleção de LPs e comprei tudo novamente quando lançaram em CD.

Mas quem copia uma música sem pagar pelo direito de ouví-la está sim fazendo algo ilegal perante a lei, não dá pra negar. Mas aí é que está! O que precisa ser revisto é o atual sistema de direitos autorais. Com a revolução digital esta indústria de música parou no tempo e perdeu o bonde da história. Fica tentando punir quem faz download quando deveria estar tentando reinventar sua indústria ultrapassada e baseada em discos plástico.

Já há casos de empresas conseguindo se dar bem no novo paradigma, como a Apple por exemplo que vende - e vende muito - músicas, vídeos, clipes e filmes pelo seu site. No Brasil a Trama Virtual também tá fazendo um excelente trabalho. Mas é pouco.

Pra finalizar... sabe mesmo o que eu acho? Acho que baixar as músicas na internet sem pagar por isso só faz com que a indústria fonográfica ganhe. O DRM só atrapalha nesse lance todo. Se eles liberassem de vez e cobrassem isso de outras formas a coisa mudava. Faltam cabeças pensantes e que não vejam mais a música como produto físico (como antes... se vendia o LP/K7/CD/DVD e não as obras) e sim intelectual. Mas em breve veremos uma mudança neste paradigma! Assim espero eu!

16 de setembro de 2007

Os ideais e seus riscos!



Você já teve ideais que defendeu com unhas e dentes até perceber que estava "no barco errado"? Já se meteu em discussões acaloradas o melhor estilo "maria vai com as outras" em "cruzadas" contra isso ou a favor daquilo?

Lembro de ter acompanhado, por exemplo, Adriano e Cleyton - dois amigos meus - discutirem durante dias sobre livre arbitrio versus destino ou seja, o calvinismo versus arminianismo, ou seja, somos nós ou Deus quem define nosso caminho? Nossos atos definem nossa salvação ou Deus já escolheu quem será salvo? Eles discutiram isso durante muito tempo e nunca os ví chegarem a um acordo. Brigavam por ideias de dois caras que nem sei se chegaram a se conhecer.

Acho que o problema maior com os ideais é que nos envolvemos com paixão. A paixão leva ao ato por simples impulso. E depois vem o orgulho humano e nos envolve de vez. Quando menos percebemos estamos levantando a bandeira de algo que pode até ser perigoso. Não estou dizendo pra "não pegue a bandeira" e sim "veja em que barco entra". Nossa mente nos cega a ponto de nos fazer pensar que aquele é o barco certo. E você segue nele mesmo sem saber direito onde vai dar aquilo tudo. E sem mencionar o fato de que a paixão passa com o tempo. A paixão é um arroubo da juventude. A juventude nos faz apaixonar facilmente por ideais com a mesma facilidade com que nos faz trocar de ideais.

Os homens - naturalmente, instintivamente - tem a tendencia natural de seguir algum líder. Um homem sozinho tá tudo bem (e olhe lá). Mas se juntarem dois homens ou mais, pronto. Um vai querer liderar e os outros provavelmente serão liderados. O "líder" sempre é aquele mais esperto. Se ele for honesto, fará um bom trabalho, mas se não for, se não tiver ética, ele usará os liderados para seus interesses. Se houver dois homens num grupo com capacidade intelectual pra liderança não duvide que ali haverá uma cisão, quando não uma briga ou uma guerra. E os liderados irão seguir um ou outro e se defrontar com os "rivais". Isso é - claramente - a essência da política. Tem sido assim por toda a história da humanidade.

Um apêndice nesse assunto, já que mencionei a religião aí atráz... É meio assim com as religiões também. Quando o que era para ser objeto de tua religação com teu Deus se torna o objeto de contenda entre grupos por divergência de "posições funcionais" dentro daquele conceito todo. Se pode ou não pode isso ou aquilo - divisão. Se isso ou aquilo é de Deus ou do demo - divisão. Pensando no termo "religião", chegou a pensar que a tal "religação" não deve ser apenas entre o homem e o criador, mas também entre os homens e seus ideais. E o criador fica vendo essa balbúrdia de lá de cima enquanto rí e pensa: "- São só bebês! Meus filhinhos queridos!". Fim do apêndice.

Tenho medo de levantar bandeiras em nome de ideais. Há os grandes ideais. Isso não há dúvida. Mas também há ideais que vão mudando no decurso da vida. Até quem cria os ideais muda de idéia. E nós - mortais - que apenas os seguimos corremos o risco de estarmos sozinhos num barco em que o próprio capitão abandonou dizendo: "- Desculpe! Eu estava errado!"

12 de setembro de 2007

Ares Soteropolitanos

Já tem mais de 1 ano que não vou a Salvador. Pensei que nunca diria isto, já que eu sempre disse que não preciso de Salvador pra nada, mas sinto que estou precisando respirar daqueles ares novamente. Ver pessoas diferentes das que vejo todo santo dia por aqui. Viver numa cidade pequena reduz, prende, simplifica tudo também - é verdade - mas também faz com que me sinta meio que apertado aqui. Você sempre vê as mesmas pessoas quando passa na rua. Como se fosse aquela cidade cenográfica do filme "O Show de Truman". Será que Jequié é o meu "mundo de Truman" particular? É por isso que tenho que ir a Salvador. Para dar um pouco mais de trabalho aos "produtores"!! :)

2 de setembro de 2007

É Setembro

Sol de Primavera

"Quando entrar setembro, e a boa nova andar nos campos,
Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou
Juntos outra vez.
Já sonhamos juntos, semeando as canções no vento.
Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar.
Já choramos muito, muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer
Sol de primavera abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor, só nos resta aprender"

Beto Guedes



Neste vídeo, um depoimento do Beto Guedes sobre nossos benevolentes governantes que vale até hoje. O agravante é que ele falou isto em cadeia nacional na extinta TV Manchete nos anos 80 em plena ditadura sob o risco de conseguir um passaporte para ver o sol nascer quadrado ou coisa bem pior. Falta isto hoje...



Eu acho que precisamos de pessoas que falem o que todos precisam e não querem ouvir. Precisamos de pessoas que deixem de passar a mão na cabeça. Chega de ser cordial o tempo todo até com quem nos rouba e nos engana... brasileiro é bonzinho demais... e bonzinho é o outro nome para otário!
Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.