9 de julho de 2007

A Semente de Israel (sobre Genesis de 11 a 15)

Continuando meus comentários sobre destaques da leitura que venho fazendo da Bíblia... (desculpem a demora... o texto estava pronto desde antes da minha viagem pra CBBa mas faltavam alguns retoques).

A Torre de Babel
Quando era pequeno fui ensinado que a Torre de Babel era uma construção que visava proteger o povo de um futuro eventual novo dilúvio. Porque aquele povo não acreditava na promessa de Deus de não mais repetir aquilo... Me lembro até hoje de histórias em quadrinhos, LPs com a dramatização e tudo... agora lendo este texto sinto que não era bem essa a idéia da torre... quando a gente é pequeno nos contam cada coisa... Em Gênesis 11:4 diz que a intenção na verdade era que a torre seria o grande centro de uma cidade feita para que o povo não se espalhasse pela terra.

Abraão no Egito
Em Gênesis 12:11-20, Abraão (que então ainda se chamava Abrão, mas deixa eu escrever Abraão pra não confundir) com medo do faraó o matar pra ficar com a sua mulher finge ser seu irmão. E quando faraó descobre, prova pra Abraão que não se deve julgar sobretudo quando se trata de culturas distintas... um egípcio jamais iria tomar uma mulher de alguém. E pra se desculpar ainda encheu Abraão de riquezas... até que calhou bem. Eu fico impressionado com o despreendimento de Abraão e da sua ligação com Deus a ponto de poder ouví-Lo e - é claro - obedecê-Lo. Acho que o fato de poder ouví-Lo facilita um pouco as coisas. Se eu pudesse ouvir Deus claramente como Abraão eu também obedeceria cegamente. Não é crítica... é inveja mesmo!

A divisão entre Abraão e Ló
Os dois foram ficando tão ricos que acabou que a terra já não dava pra ficarem juntos e as brigas começaram... e acabaram se separando (Gênesis 13:6-13). O Interessante neste capítulo é que Abraão pediu pra Ló escolher que terra queria... e ele ficaria com a preterida... isso prova o amor que Abraão tinha para com seu sobrinho. E Ló - é claro - escolheu a melhor terra... mas só que havia um pequeno inconveniênte lá... era perto de Sodoma e Gomorra... tudo - toda escolha - tem um preço! Desconfie quando algo é bom demais!

A promessa de Deus a Abraão e o embrião de Israel
È nesta parte (Gênesis 13:14-17) da Bíblia que é criado o povo de Israel... a partir da descendência de Abraão... que ironicamente não podia ter filhos mas que mesmo assim Deus prometeu que a sua descendência seria como a areia do mar e as estrelas do céu... infinitamente incontável...

Os 318 homens de Abraão
Só uma curiosidade. Em Gênesis 14:14, Abraão reúne seus homens para fazer uma perseguição para soltar Ló que fora sequestrado por reis que estavam em guerra lá pelas terras de Sodoma (olha aí o preço começando a aparecer para Ló... mas é só o começo... vem mais!). E eram 318 homens. Será que é deste texto que a Igreja Universal se inspira para fazer a tal reunião dos 318 homens de Deus? Vai saber...

A Promessa de um Filho
Em Gênesis 15:2-4, Deus promete um filho legítimo a Abraão, que até então não podia ter filhos e pensava que seu herdeiro seria o seu mordômo, o damasceno Eliézer. Então ali Deus reitera com Abraão sua promessa de que ele era a semente de Seu povo.

O Futuro
Nos versículos 13 e 14, Deus ainda revela que o povo de Israel sofreria em terras alheias por 400 anos em regime de escravidão mas que depois sairia de lá com muitas riquezas. Daí a dimensão da intimidade de Deus com Abraão. O amor e a relação de confiança que um ser divino e onipotente tem por um humano pecador insignificante. Isto é lindo!

Um comentário:

Anônimo disse...

por um acado abri seu blog
qual a sua religião?

Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.