15 de agosto de 2010

Escritas

Que será de mim?
Eu que não escrevi nada
Que nenhum bem deixei
Para a posteridade

Que será de mim?
Eu que não fui celebridade
Não ganhei nenhum Nobel
Nem nada fiz por merecer

Jamais serei celebrado
Por minhas canções nunca cantadas
Por minhas poesias não lidas
Ou minhas obras inacabadas

Vou apenas tomar meu lugar
- o único que me foi reservado - 
No grande barco do esquecimento
Onde ficam os mediocres

Um comentário:

IEDA SAMPAIO disse...

Lindo é vc.
Até nisso.
Sempre perfeito.

Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.