14 de agosto de 2005

Vou sentir saudades...

Meu terceiro Dia dos Pais. No primeiro ainda não tinha caído a ficha. No segundo eu tava tão mau que nem lembro o que senti. Acho que não era capaz de sentir muita coisa no estado em que estava. Mas neste... ah... que delícia... tenho uma filha linda que me ama e adora ficar comigo, que cuida de mim apesar de realmente ser eu quem cuide dela. Que mesmo assistindo desenho na TV vem aqui no quarto onde eu estou digitando isto de 5 em 5 minutos e me fala alguma coisa ou me dá um beijo ou de alguma forma quer saber se eu estou bem ou se eu quero água.
Vou sentir saudades das coisas que ela me fala no ouvido mesmo sem eu entender nada direito. Já sinto saudades de quando ela ainda não sabia falar mas tagarelava em uma língua que só ela entendia. De ir buscá-la na escola e ver em seu rosto a alegria quando via que era eu quem tinha ido. Vou sentir saudades dos olhinhos dela brilhando quando eu chamava ela pra passear de moto. Dela brincando de fazer comida do meu lado enquanto eu termino algum programa de algum cliente no computador. Dela fazendo coreografias na igreja enquanto eu toco piano. Das discussões sem fim dela com o meu pai para ver de quem eu era... se filho dele ou se pai dela...
Dela comendo e sujando tudo e sempre derramando o copo de Coca-Cola. Dela insistindo em falar comigo pelo telefone da casa da mãe ou da avó, mesmo que quando eu fale as coisas com ela pelo telefone ela ainda acene com a cabeça pensando que eu a estou vendo e eu do outro lado da linha aguardando uma resposta. Vou sentir saudades até dela chorando e me deixando com dor de cabeça. Dela ficando retada comigo porque eu não quero dar algo ou porque a proibí de fazer algo. Vou sentir saudades dos fins de tardes (eram todos os dias, desde que ela tinha 3 meses até quando ela já estava com 2 anos e meio) em que eu ficava com ela na rede da casa vendo o dia terminar e olhando as formas das núvens...
Digo isso porque eu sei... já sinto... ela tá crescendo... e vai continuar a crescer... e isso vai acabar... por isso eu quero curtir tanto isso... aproveitar cada segundo que eu puder... quero sorver toda essa alegria... essa juventude... vou dar a ela o melhor de mim... quero ensinar ela a cantar... a tocar algo no piano ou no violão... já não faço mais questão de nada... e que eu viva sempre assim... amando e sentindo todo este amor... amor que só quem é pai deve saber o que significa... hoje eu entendo melhor meus pais... suas preocupações, medos, ansiedades e até seus erros... tudo se encaixa melhor... aqui dentro... é isso que nos torna maiores... maduros... é isso que nos eleva o espírito... e nos faz melhores...

Nenhum comentário:

Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.