9 de outubro de 2006

Amor pela Sabedoria

De uns 3 anos pra cá tenho pensado muito. Em tudo. Não só na vida que levava ou levo, mas também nos "porques", nos "como", nos "e se" de tudo aquilo ou disto. Muitos destes pensamentos eu deixei registrado aqui mesmo neste blog. Escrevia muito sobre coisas que naquele momento mexiam comigo.

Não sabia mas estava filosofando. Não entendia que entrar pelo caminho de questionar as coisas era filosofia. Lembro de ter tido aulas de filosofia na escola mas aquilo parecia mais com aula de redação (sou bom nisso) e não deixa ter tudo a ver pois - me corrigam se estiver errado - o que seria da filosofia se ninguém escrevesse sobre o que foi mastigado e digerido pelas mentes dos grandes filosofos?

Algo que estou compreendendo agora é que na filosofia o que mais vale não são as respostas e sim as perguntas. Os questionamentos colocam o nosso cérebro pra funcionar e a partir de uma questão intrigante chegamos a novas questões até mais intrigantes ainda. A resposta é obtida se questionando mais e cada vez mais. Hipotetizar também é um grande exercício para a filosofia. Ao simularmos situações é criada a questão "e se..." e então passamos a analizar conseqüencias de atos que nunca existiram, que talvez até seriam impossíveis de se realizar mas o que vale é a pesquisa e a produção do conhecimento.

Não sou a melhor pessoa pra falar sobre filosofia por isso linkei para a o que Wikipédia fala sobre para que vocês entendam melhor. O que quero com este post é deixar claro aqui a minha ignorância sobre filosofia e diante desta ignorância declarar o quanto ela tem me fascinado, e ainda mais agora que entendo mesmo que pouco o que ela significa.

Este post serve meio que para introduzir uma série de futuros posts sobre filosofia que irei colocar aqui no blog. Levantar algumas questões e externar meus pensamentos filosóficos. Espero conseguir colocar aqui o que borbulha em meus pensamentos e se não conseguir achar respostas que pelo menos encontre novas perguntas.

Um comentário:

Ieda Sampaio disse...

Que bom que você está interessado no tema. Eu adoro isso.
Vou encontrar meu livro de Gaarder, tá?
Beijo.

Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.