2 de dezembro de 2007

Protesto legal no Altas Horas

Tava assistindo agorinha o Altas Horas, programa do Serginho Groisman na Globo - que forma dupla com o Programa do Jô como sendo as únicas coisas que prestam naquela emissora - e na hora de um quadro chamado "Púlpito" - onde os que lá estão na platéia são convidados a protestar contra algo - um carinha chegou e mandou ver: - Eu protesto porque o Altas Horas não traz nem nunca trouxe nenhuma banda evangélica pra tocar aqui!!! - E a galera aplaudiu pra caramba! Já o Serginho ficou meio bobão sem saber o que dizer e nada disse. Ficou por isso mesmo!

Eu entendo essa separação que existe - no Brasil - entre a música e as artes cristãs da música e das artes não cristãs como algo criado pelos próprios cristãos. O cristão se acha melhor que os outros porque "ser salvo" o torna superior. E como ser salvo significa ser santo e "santo" significa separado. Voilá! Acabaram criando um clubinho onde se separam do resto do mundo. E o que não é do clubinho deles é do mundo! É "mundando"! Isso acaba fazendo com que ele caia na vala comum onde estão os nazistas, os católicos medievais, os brancos, os muçulmanos radicais e até os intelectuais... e o resultado disso é sempre algum tipo de violência. Seja ela física, segregacionista ou seja lá o que de ruim decorra disso. E a história está repleta de casos assim. Primeiro um grupo que "se acha" se separa dos "inferiores" e ficam por ali até serem maioria, e quando isso acontece o próximo passo é que eles não descansam até que eliminem os inferiores. Felizmente não lembro de terem conseguido.

Eu penso que não deveria haver esta separação. Que arte é arte, música é música independente dela ser cristã ou não. Quanto a determinado artista "louvar" o candomblé é problema dele. Ele escolhe louvar a quem quiser ou a ninguém. E você escolhe se vai ouvir aquilo ou não. Assim como um artista cristão também pode falar de Cristo em suas canções ou não. Se ele escolher falar de amor ou de natureza é bom também. É arte! Ele não é obrigado - por ser cristão - a cantar somente canções espirituais (?) ou seja lá o que isso signifique.

Há uma intolerância enorme a isto na igreja. Preconceito mesmo. Se um músico toca em uma banda no carnaval aqui da Bahia a igreja o condena a cruz e o prega lá com uma caixa tachinhas. Ninguém pensa que ele estava lá a trabalho porque tem uma familia pra sustentar. O estranho é que ninguém fala do médico crente que durante a noite teve que atender uma "mãe de santo" ou um padre no pronto-socorro do hospital. Se forem exigir tratamento igual o médico cristão deveria também perguntar a cada paciente seu sua religião e só atender os evangélicos. O crente que é dono da padaria também. Devia colocar uma placa na frente do estabelecimento: "Só atendemos evangélicos! Por favor não insistam!".

Por outro lado também - pelo menos em nossas igrejas aqui na Bahia - nossas igrejas não remuneram os músicos e os artistas. Nem os consideram artistas. Para a igreja músico não é profissão. O bom músico de igreja deve ter outro emprego. Na minha por exemplo: eu sou programador e tem lá um enfermeiro que toca piano, um contador que é baixista, um motorista que é baterista, e por aí vai. Não remuneram mas... ai de qualquer um deles se cair nos ouvidos de qualquer membro da igreja que fulano foi visto tocando num barzinho ou num trio elétrico.

Mas aonde eu quero chegar? O que tem tudo isso a ver com o caso do Altas Horas e do protesto do garoto? É simples: Se nós mesmos, cristãos, não valorizamos nossos artistas, sejam eles músicos, atores, dançarinos, poetas, escritores, cantores... porque ráios a TV e a mídia em geral vão dar valor? Se nós mesmos - os cristãos - não sabemos quem são nossos artistas direito. Você conhece algum romancista cristão? Um poeta? Um ator? Nada? Acho que é essa a nossa diferença para os cristãos norte-americanos. Parece (não sei ao certo) que eles valorizam a arte como arte. E não como arte cristã ou arte não-cristã!

E é exatamente aí que quero chegar! Devemos sim valorizar nossos artistas cristãos mas como artistas que são e não apenas porque são cristãos. Não é comprar aquele CD "pra ajudar" apenas porque o sujeito se diz cristão. Compre porque é bom e porque você gosta. Independente dele ser ou não cristão. Mas! E aí está a diferença! Se ele for cristão e for bom! VIVA!!! Aí sim! É a glória! Merece até ir no Altas Horas do Serginho na Globo.

Nenhum comentário:

Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.