11 de junho de 2007

As Virtudes do Conflito

O conflito é minha matéria,
minha carne.
Minha síntese é a escuridão.
Que pude escolher
de menos terrível
em mim
para meus semelhantes?
Viver foi a minha escolha.
Mas, por esta noite eu não esperava:
tão densa
que os próprios radares
não conseguem varar.
Anoiteceu muito, meu Deus,
anoiteceu demais.

Alberto da Cunha Melo


Há uma apresentação deste poeta neste blog!

Um comentário:

Urariano Mota disse...

Escolha sensível. Leia uma pequena apresentação do poeta Alberto da Cunha Melo em http://urarianoms.blog.uol.com.br/
Abraço.

Os comentários aqui postados podem ser citados desde que se mencione junto o autor - no caso eu - e se coloque junto um link para este site ou o permalink para a página de postagem correspondente.